CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS
Carol Sandler Por FINANÇAS FEMININAS Carol Sandler é jornalista, fundadora do Finanças Femininas e autora do "Detox das Compras"

Mulheres serão a maior força econômica deste século

E nesta coluna semanal vou trazer sempre dicas e truques de como construir uma relação bacana e saudável com seu dinheiro

Por Carolina Sandler 14 mar 2018, 12h26

A maior força econômica deste século não virá da China, nem da Índia, mas sim de nós, mulheres. E não, não sou eu que diz isso, mas sim um relatório recente de uma das mais reputadas firmas americanas de pesquisa econômica, a 13D.

Pare um minuto para pensar: as mulheres são a maioria da população universitária no Brasil e na maioria dos países desenvolvidos. Nós estudamos mais e estamos mais bem preparadas para nos adaptarmos à nova economia do conhecimento. Nossa renda cresce a uma velocidade muito maior do que a deles. Ainda ganhamos menos do que eles, mas, de acordo com a pesquisa, a transformação vai acontecer de forma muito mais acelerada do que podemos imaginar –e, desta forma, começar a ganhar muito mais em pouco tempo.

O movimento feminino de reivindicar mais cargos de liderança, equidade salarial e o fim de abusos em casa e no trabalho está só começando –e ele tem tudo a ver com o seu bolso. Quanto mais ganhamos, mais poder temos para equilibrar o jogo.

Não tem mais volta. A cada dia que passa, a desigualdade vai se tornando cada vez mais antiquada. Tenho uma filha de quatro anos e imagino que, quando ela tiver idade para começar a trabalhar, um cenário em que uma mulher que ganhe menos do que um homem que exerça a mesma função que ela vai parecer algo tão inacreditável quanto a ideia de beber e fumar no escritório soa para nós. Não vai demorar os 80 anos que algumas consultorias estimam –a transformação será muito mais rápida do que imaginamos.

“Conforme as mulheres ganham uma parte maior da riqueza global, elas vão usar o seu poder para empoderar ainda mais mulheres ao redor do mundo, inclusive as garotas e as mulheres não bancarizadas nos países em desenvolvimento. Esta disrupção não terá nada de linear”, afirma o relatório da 13D.

Ou seja: está na hora de falarmos sobre dinheiro. Se você é a favor da igualdade de gêneros, você também é uma feminista –e não dá para falar de empoderamento sem falar de grana. Afinal, dinheiro é poder. Poder para bancar as suas escolhas, para sair de situações que não te fazem bem e de garantir que você pode lutar por seus direitos.

Continua após a publicidade

Independência e autonomia estão profundamente vinculadas a saber cuidar bem do seu dinheiro –e é neste cenário que entra esta coluna. Nesta coluna semanal no site da revista CLAUDIA, vou trazer sempre dicas e truques de como construir uma relação bacana e saudável com seu dinheiro.

Trabalho com empoderamento econômico feminino há cinco anos, desde que fundei o Finanças Femininas. Ao longo deste tempo, pude testemunhar em primeira mão como este conteúdo pode transformar milhares de vidas. Se você quer criar uma vida com autonomia, independência, tranquilidade e paz de espírito, o primeiro passo é assumir o controle do seu dinheiro.

Então junte-se a essa revolução. Se tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários ou me mande no email carolina@financasfemininas.com.br.

Sua dúvida pode servir de inspiração ou tema para uma próxima coluna.

Vamos juntas!

 

Continua após a publicidade
Publicidade