CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS
Kika Gama Lobo Por Atitude 50 Focada na maturidade como plataforma pessoal, a jornalista Kika Gama Lobo escreve sobre as sensações e barreiras que as mulheres de 50 anos vivenciam

Plástica aos 50+

"Quero melhorar, por dentro e por fora. Quero reluzir. Quero encantar. Quero iluminar. A quem? A mim", diz a colunista sobre mudanças no corpo e na mente

Por Kika Gama Lobo Atualizado em 16 jun 2021, 21h10 - Publicado em 16 jun 2021, 13h29

“Minha pepeca nova vai caber no meu biquíni pequeno”. Assim terminou meu zoom dominical com as amigas de faculdade. Ambas já entraram na faca e retalharam os excessos, mas a querida Maria foi além. Fez o monte de Vênus e deu um trato nos países baixos. Fiquei pensando na alegria de estrear o equipamento. Ela que sempre gostou do esporte deve estar como as colegiais que ostentam o sutiã vermelho por baixo do uniforme sem graça.

O prazer começa com a gente e na maturidade, diante de tantas perdas, ganhar musculatura, sensualidade, atrevimento não tem preço. É como o bilhete premiado e, por mais que não estejamos com condições de entrarmos numa sala de cirurgia para reorganizar o corpitcho, podemos – de alguma forma – nos acarinharmos com pequenos mimos diários.

Eu entrei numa dieta. Era tanta banha na cintura que pulava no jeans 44. Também estou querendo fortalecer os músculos do braço, pois estão como plumas ao vento – para lá e para cá. Já vou avisando que não estou fazendo isso porque a sociedade quer, porque o marido reclamou, porque não me sinto dentro dos padrões das blogueiras –, mas sim porque eu quero.

Quero melhorar, por dentro e por fora. Quero reluzir. Quero encantar. Quero iluminar. A quem? A mim, aos amigos, a quem cruzar meu caminho, ao mendigo, ao cachorro… sei lá. É tanta pergunta que nos fazem. Por que fazer plástica? Por que ficar magra? Por que tonificar os músculos? Sei lá. Porque eu quero.

Os procedimentos dermatológicos estão cada vez mais acessíveis. Dá para parcelar uma plástica em 10 vezes sem juros. O plano paga o hospital. O anestesista você consegue reembolso e se unir com um objetivo médico pode até sair de graça. Então eu já vou começar a pesquisar cirurgiões e olhar meu corpo com mais atenção.

Tipo esquartejador. Vou começar por aqui. Não, melhor ali. E assim, com birra, termino esse texto, mas antes dou uma conferida na vulva. É… pentelhos brancos, aumentada de tamanho e meio desengonçada eu penso: vou fazer como a amiga. Pegar uma grana e colocar na xota e feliz da vida seguir estrada fora. Quem me segue?

  •  

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade