Pequeno manual do pornô (com segurança) para mulheres na internet

Um guia para quem quer se aventurar nesse mundo e não sabe por onde começar.

 

Para começar, não clique em tudo o que aparecer.

Quem tem um pouquinho mais de experiência no mundo da pornografia de internet sabe: sites pornô estão infestados de vírus, spams e propagandas indesejadas. E, mesmo que você já seja uma profissional na arte de acessar esses conteúdos, às vezes, pode ser traída pela famosa síndrome das mãos ocupadas (cof, cof) e acabar caindo sem querer nessa cilada. Invista nos bloqueadores de publicidade e, PELO AMOR DE DEUS, tenha um antivírus instalado no seu computador – e isso vale para o celular também!

Leia Mais: 9 mulheres que estão revolucionando a indústria da pornografia

E navegue anonimamente.

Está num computador que não é o seu? Não quer ter a “dor de cabeça” de apagar todos os históricos? Pô, é fácil! Com as janelas anônimas, disponíveis em todos os principais navegadores (Chrome, Firefox e Safari), é possível acessar o que você quiser e não deixar rastros. Mão na roda, hein.

Saiba onde está pisando.

O mundo virtual é bastante parecido com a vida real. Não é prudente, por exemplo, “entrar” em qualquer lugar, antes de saber a procedência, pode ser uma furada. Por isso, antes de se aventurar num ~novo site erótico incrível~ pesquise antes se ele é confiável para não ter aquela dor de cabeça chamada PC “bichado”. A gente fez uma lista dos sites friendly – com pornografia só para mulheres! – para você só relaxar e gozar em paz.

O Tumblr é uma ótima opção, sabia?

Livre de propagandas e, principalmente, vírus, a rede social é superpopular entre os jovens e um ar fresco para o mundo do pornô. Muito mais do que vídeos explícitos (tem vários por lá também!), é possível encontrar os mais diversos gifs, fotos e, sim, literatura erótica! Quer dicas? A gente separou alguns aqui.

Conheça o incrível mundo das fanfics.

Fanfics são histórias de ficção criadas a partir de personagens do mundo real. É um gênero muito popular entre os adolescentes, e, também, coisa séria. “50 Tons de Cinza”, por exemplo, foi criado a partir de umas dessas histórias. A autora, E.L. James, decidiu criar uma trama sexy para “Crepúsculo” e a empreitada fez tanto sucesso que virou esse hit que todo mundo conhece. Não curte pornô explícito e prefere “viajar” nas histórias eróticas? Clique aqui.

E tenha em mente: você não está sozinha.

De cada três consumidores de pornografia, pelo menos um é mulher. Ponto. E, sim, a indústria está atenta para isso e, cada vez mais, produzindo conteúdos direcionados para esse público. Como, por exemplo, a diretora sueca Erika Lust, que defende um pornô com menos ângulos ginecológicos e objetificação feminina. “Meu público procura ver homens e mulheres de todas as formas e tamanhos, recebendo prazer numa relação igualitária, aproveitando sua liberdade sexual. Eles querem saber exatamente o que as mulheres querem, seus verdadeiros desejos e fantasias”, disse. Conheça mais do trabalho dela aqui.