Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

No Dia dos Namorados, dê presentes criados por pequenas empreendedoras

Conheça as histórias inspiradoras de quatro mulheres e se inspire para presentear quem ama em 12 de junho

Por Gabriela Maraccini - Atualizado em 6 jun 2020, 17h03 - Publicado em 6 jun 2020, 15h30

Com o isolamento social, necessário para impedir a disseminação do novo coronavírus, ficou evidente a importância de ajudar pequenos empreendedores e seus negócios – são eles os que mais sofrem com o fechamento temporário do comércio e serviços nas cidades, além da perda de renda pela população. Ao mesmo tempo, datas comemorativas, como o Dia dos Namorados que se aproxima, pedem que os presentes sejam comprados virtualmente para evitar aglomerações. Essas são boas oportunidades para apoiar pequenos negócios.

Para te inspirar a encontrar uma lembrança única para seu amor em negócios de mulheres, contamos as histórias de quatro empreendedoras. Saber que, quando compramos um produto em um desses empreendimentos gera renda direta e faz feliz quem está por trás deles, pode te motivar a mudar algumas de suas escolhas de consumo.

Piadas e (muito) amor feitos à mão

Aos nove anos, Victória Zayat matava os treinos de tênis para assistir a aulas de pintura em porcelana com mulheres idosas, em um ateliê próximo de onde deveria estar praticando o esporte. A mãe dela só descobriu sobre as escapadas da filha quando foi pagar a mensalidade e a professora se recusou a aceitar o cheque. “Ela falou que eu não poderia aceitar o pagamento porque eu não ia há mais de um mês nas aulas”, conta a jovem, aos ricos. “A minha mãe então me matriculou nessa aula de porcelana e deu tudo certo”.

Crescendo com muita paixão pela arte e com o desejo de aprimorar suas técnicas, Victória se formou na faculdade de designer de produto e, inspirada pela mãe, que sempre empreendeu, decidiu abrir o próprio negócio. “Empreender para mim é uma forma de ter uma carreira. Eu sabia que queria ficar mais tempo em casa e, assim, teria mais disponibilidade para me dedicar a outras coisas; e também que, se eu trabalhasse com algo que eu amasse, eu teria saúde mental, zelo comigo mesma e até um desempenho melhor”, conta.

Victória Zayat, dona da “Ócio&Café”, em seu ateliê, em São Paulo Arquivo Pessoal/Reprodução

Na adolescência, a família de Victória passou por algumas dificuldades financeiras, que foram a motivação principal para ela buscar aprender mais sobre o empreendedorismo. Hoje, aos 28 anos, é dona da Ócio&Café, uma loja de canecas personalizadas e com muita atitude feitas à mão. Estampadas com memes e expressões engraçadas, as canecas têm cerca de 34 mil seguidores no Instagram da marca (@ooocio.cafe).

Para o Dia dos Namorados, Victória sugere a caneca “You are my Turu Turu” (Você é meu Turu Turu, em inglês), em referência à música Quando você passa (Turu Turu) de Sandy & Júnior. “Eu sou fã deles e a caneca, com certeza, com um kitzinho com chocolates para aquecer a relação, vai ser um presente mara”. A caneca sai por 37 reais e pode ser comprada no site da Ócio&Café.

Caneca "You are my Turu Turu", da Ócio&Café
Caneca “You are my Turu Turu”, da Ócio&Café Instagram/Reprodução

Empreendendo em dupla

Em Salvador, Jéssica Nery e seu companheiro José Leoncio, ambos com 30 anos, enxergaram em adversidades uma chance para começar a empreender. Em 2016, José ficou desempregado e passava dificuldade para se recolocar no mercado de trabalho. Resolveu pegar o dinheiro que tinha no FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e investir em uma nova empresa de bottons personalizados. Nasceu, assim, a “O Que Eu Quiser Criações”.

Dois anos depois, foi a vez de Jéssica perder o emprego. Com uma filha pequena para sustentar, ela e José aumentaram o portfólio de produtos e a produção da loja. “Antes eram só bottons e começamos a vender também canecas, almofadas e outros tipos de presentes personalizados. Então, começamos de fato a trabalhar só com isso exclusivamente”, conta Jéssica.

Assim como na trajetória de Victória, a arte sempre esteve presente na vida do casal. “Nós sempre gostamos de desenhar. O José tem muito mais afinidade com ferramentais digitais e em trabalhar com programas de computador. Eu sempre fui mais do pape. Minha mãe é artesã, então sempre participei com ela da criação desses trabalhos manuais, sempre estive nesse universo”, diz a empreendedora.

Jéssica Nery e José Leoncio, donos da “O que eu quiser criações” Instagram/Reprodução

Para o Dia dos Namorados, quem está em Salvador pode comprar um dos itens do casal. Jéssica sugere uma almofada personalizada. “Para quem está longe do namorado, pode abraçar a almofada, com aquela mensagem, com foto do casal, com uma frase específica daquela pessoa. Torna-se algo muito especial, principalmente nesse momento”, indica. O item sai por 35 reais – e, se deixar para a última hora, a entrega é rápida, em até 24 horas depois da compra.

Continua após a publicidade
Almofada personalizada da "O que eu quiser criações"
Almofada personalizada da “O Que Eu Quiser Criações” Instagram/Reprodução

Maternidade como inspiração

Após sair de um emprego de 12 anos como contadora, Janyce Freire resolveu realizar o sonho de empreender. Mas sua história com os próprios negócios começou um pouco antes, em 1991, quando seu filho nasceu. Para conseguir sustentar o bebê enquanto estudava para prestar concursos públicos, ela começou a fazer pães e bolos para vender.

Mais recentemente, ao ficar desempregada, Janyce resolveu se aventurar de vez no empreendedorismo. Comprou um estabelecimento de bolos e cupcakes, em Brasília. Mais tarde, com o fechamento da única loja de presentes que havia em um shopping, ela decidiu mudar de segmento e investir em presentes criativos. “Queria ter mais qualidade de vida e mais tempo para mim”, conta.

Foram quatro anos no segmento, abrindo mais uma loja nesse meio tempo. Mas, com a crise econômica dos últimos anos, que afetou o consumo das famílias, o comércio entrou em queda e ela precisou fechar um dos estabelecimentos. Voltou apenas em setembro do ano passado, dessa vez, se aventurando no e-commerce com a Surprise Presentes.

Janyce Freire, dona da “Surprise Presentes” Arquivo pessoal/Reprodução

“No começo, aprender a vender online, convencer alguém que o seu produto é bom à distância, foi o maior desafio, pois estava acostumada com o contato direto com o cliente. Fiz alguns cursos, errei muitas vezes, acertei outras e hoje, após dez meses de site e muito trabalho, acredito estar trilhando o caminho certo”, afirma.

“Ainda falta muito, mas o desafio de fazer alguém feliz ao ser presenteado é o que me move. Quando alguém compra um presente seu para outro alguém que ama, está depositando no seu trabalho amor. Isso é muito gratificante e te devolve uma energia única”, completa. Por falar em amor, para o Dia dos Namorados, Janyce sugere a caneca “Te amo muito”, que pode ser adquirida no site por 49,90 reais.

Caneca “Te Amo” é a sugestão de Janyce para o Dia dos Namorados Surprise Presentes/Reprodução

Arte entre paredes

A paulistana Graziella Luzini, 27 anos, sempre se considerou “a Grazi das decorações e dos presentinhos criativos e bem embalados”, conforme descreve. Designer de Interiores, a jovem já sentia vontade de abrir uma marca própria, mas foi em 2015 que decidiu criar, de vez, a Entre Paredes.

Tudo começou quando, ao trancar a faculdade de arquitetura, criou um canal no YouTube sobre decoração, a principio para mostrar a reforma de seu quarto. Minuciosa nos detalhes, ela desenhou as próprias estampas para as paredes. “Assim que chegaram as impressões, vários amigos meus quiseram comprar e resolvi vender”, conta.

Graziella Luzini, dona da “Entre Paredes” Arquivo Pessoal/Reprodução

Grazi então começou levantando os produtos que gostaria de ter personalizados, mas não encontrava para comprar, como cadernos e quadros decorativos. “O primeiro produto criado oficialmente foi a polaroid de mesa, um porta-retrato que sempre foi o carro chefe de vendas da loja”, revela. Meses depois, largou o emprego fixo em um escritório para tocar seu empreendimento.

“A maior dificuldade sempre foi conciliar sozinha todas as atividades. Entre administrar, produzir e criar, a vontade era só de ficar inventando coisa nova”, confessa. Mas com a ajuda da mãe, que a auxiliava na produção; dos amigos, que ajudavam nas entregas e também a produzir; e da companheira, que dá uma força com a comunicação e identidade da loja, a Entre Paredes foi crescendo. Hoje, o perfil no Instagram (@entreparedes.art)  soma mais de 23 mil seguidores.

Para o Dia dos Namorados, Grazi sugere a polaroid de mesa, que sai por 30 reais, e o quadro Sky’s Time, que custa 80 reais.

Polaroid de mesa e o quadro Sky's Time é a sugestão de Grazi para o Dia dos Namorados
Entre Paredes/Divulgação

Todas as mulheres podem (e devem) assumir postura antirracista

Continua após a publicidade
Publicidade