Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

12 alimentos que parecem saudáveis, mas não são

Alguns alimentos têm cara de “bonzinho”, mas podem ser inimigos da saúde e da dieta. Conheça alguns deles e saiba quando é possível consumi-los sem maiores problemas

Por Silvia Regina (colaboradora) Atualizado em 21 jan 2020, 23h31 - Publicado em 28 abr 2015, 15h51

Aparentemente inocentes, há alimentos que estão em várias dietas e são considerados pela maior parte da população como saudáveis, mas podem fazer com que você ganhe peso e, pior, ainda desenvolva doenças. O nutricionista Gabriel de Carvalho, introdutor do conceito de nutrição funcional no Brasil, mostra o que há por trás de alguns alimentos e os cuidados ao consumi-los. Veja se você está caindo no conto da alimentação saudável:

Açaí

A fruta não faz mal, o problema é que o açaí consumido nas grandes cidades é carregado de xarope de glicose com guaraná, que possui altas concentrações de açúcar. O melhor é procurar a versão pura e batê-la com uma banana antes de consumir. Ah, e não vale colocar açúcar, viu?

Peito de peru

Entre os embutidos, é o “menos pior”. Mas é preciso se lembrar de que ele é uma carne processada e tem muito sódio na composição, um perigo para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Além disso, conservantes estão relacionados ao aumento dos riscos de vários tipos de câncer. Veja outros alimentos industrializados campeões em sódio

Suco de caixinha

A embalagem tem plástico e alumínio, que podem passar para o suco e prejudicar a saúde. E ainda você precisa considerar que alguns levam muito açúcar na composição. Para não cair nessa cilada, o melhor é fazer seu suco natural em casa e tomá-lo o mais rápido possível para garantir as vitaminas.

Barrinha de cereais

Apesar de muitas terem aveia, rica em fibras e ótima para a saúde, a maior parte das barrinhas leva muito carboidrato refinado (açúcar, sacarose, xarope de glicose) e cereais também refinados (flocos de milho e flocos de arroz), prejudiciais ao organismo. Só consuma se estiver fazendo exercício físico, para repor a energia.

Temperos prontos

A maioria tem doses altíssimas de sódio e substâncias químicas. Entre elas, o glutamato monossódico, um realçador de sabor que altera as papilas gustativas e cria uma espécie de vício. Como o gosto é intenso, quando não o usamos, achamos que nada tem sabor. Portanto, quando for cozinhar, prefira sempre ervas frescas para dar um gostinho especial ao prato.

Continua após a publicidade

Frutas em calda

Não se engane achando que está comendo algo saudável. A começar pela calda, carregada de açúcar. E, como a fruta é processada, perde fibras e outros nutrientes. Ok, é melhor que uma bomba de chocolate, mas consuma só de vez em quando.

Gelatina

Dizer que a gelatina tem colágeno e, por isso, é boa para firmar a pele é mito. A quantidade dessa proteína é tão pequena que não traz o benefício esperado. E tem mais: a versão industrializada é lotada de corantes, acidulantes, aromatizantes, açúcar ou adoçante. Nada bom! Prefira uma fruta como sobremesa no dia a dia.

Azeitonas

É um alimento interessante para ser usado como tempero em muitas preparações. Sua gordura é insaturada e ajuda na redução do colesterol ruim. Mas é preciso lembrar que a azeitona que comemos é conservada em água com sal, daí o consumo precisa ser moderado. De três a quatro unidades em dias alternados está ok!

Sopas em pó

Assim como os temperos prontos, têm muito sódio e glutamato monossódico. No preparo, ainda levam farinha refinada para ganhar consistência. Portanto, não há muita vantagem em consumi-las. Prefira a canja da vovó ou aquela sopa de legumes!

Carne grelhada

O contato da carne com a frigideira em alta temperatura cria substâncias na superfície do alimento que podem favorecer o aparecimento de câncer. Vale o mesmo para o churrasco. Para evitar esse risco, prepare a carne cozida ou assada no forno, usando uma grelha suspensa.

Chocolate diet

Ele não leva açúcar como o convencional, mas tem muita manteiga em pó ou gordura hidrogenada, que são nocivas à saúde. E ainda pode conter maltodextrina, um tipo de açúcar que não adoça, mas mexe com a glicemia, como o açúcar convencional. Ou seja, é um veneno para quem quer emagrecer. A solução: procure por chocolates com alto teor de cacau, geralmente 70% ou 80%. Com o tempo você vai se acostumar com o sabor e até preferir essa versão mais saudável. Saiba como escolher entre light, diet e zero

Castanha-do-pará

Rica em selênio, ela ajuda a combater os males do coração. Para ter esse benefício, consuma até três unidades por dia. Se for mais do que isso, ela começa a ter efeito contrário. O excesso de selênio no corpo aumenta o risco de câncer, doenças cardiovasculares e diabetes. Perigo! Então, fique atenta à quantidade!

Continua após a publicidade
Publicidade