10º dia – Como diminuí meu colesterol em 21 dias – sem remédios

Acompanhe o meu diário e descubra como eu fiz para conquistar uma vida mais saudável. Vida real mesmo, nada de lero-lero!

Hoje acordei atrasada. Uma lástima, pois estava muito disposta. Sabe aquela sensação, de mais 5 minutinhos? Pois é. O despertador tocou e eu virei para o outro lado e simplesmente deixei a minha preparadora física tomando um chá de cadeira lá na academia. Uma pena! Me desculpei e tive que seguir direto para o trabalho sem me exercitar. É, imprevistos acontecem!

Para provar o quão disposta eu estava, até fotografei a minha corrida ontem no parque – porque foi épica! O dia ontem começou com algumas nuvens no céu e eu pensei “vixe, será que vou conseguir ir hoje?”. Mesmo assim já fui trabalhar de tênis e top por baixo da roupa, para não perder o embalo! Saí da redação às 20h e jantei arroz integral, frango grelhado, abobrinha e salada. Fui até a lanchonete, peguei a fila do caixa, larguei o chocolate na hora de pagar e deixei o moço sem entender nada! Chovia. Pensei: “vou dirigindo até lá e se parar, parou. Se não parar, vou mesmo assim”. Não parou, mas diminuiu. Alguma força (nunca vista antes) surgiu dentro de mim e resolvi seguir em frente: corri durante 1h.

Foi maravilhoso! O parque todo era só meu!!! Coloque a minha jaqueta impermeável, fechei bem o capuz e fiz esses cliques aqui embaixo:

Stephanie Bevilaqua Stephanie Bevilaqua

Stephanie Bevilaqua (/)

Detalhe básico: o meu lápis de olho acabou combinando direitinho com a jaqueta! Muito amor ❤

Posso dizer que foi mesmo libertador. Correr no frio é muito mais gostoso. Eu consegui completar duas voltas inteiras – um fato inédito. A paz e calma do parque também ajudaram bastante. Logo nos primeiro minutos, cruzei com um corredor com pinta de profissional. Ele me viu, abriu um grande sorriso e fez um reverência como quem dizia: “Boa! Continue assim!”. Foi dessa forma que eu interpretei e acabei ganhando uma injeção de ânimo. Valeu muito a pena.

O dia de hoje me fez lembrar de uma matéria incrível que fizemos com o doutor Drauzio Varella sobre a corrida. Uma ótima leitura: “A corrida é um antidepressivo poderoso”.

Chegando em casa, quem estava lá, quentinho me esperando? Uma forma inteira de pão de queijo que a minha mãe tinha acabado de assar. Barra. Não resisti e acabei atacando um. #saudades. Também comi uma fatia de queijo mozarela e um prato de aveia com canela e açúcar (sem chance para o adoçante). Depois da minha ida à nutricionista ontem, comentei que sentia um pouco de fome à noite. Ela disse que poderíamos incluir 1 fatia de pão integral, ou duas torradas para a ceia – nas noites em que eu fizesse exercícios. Isso mais uma fruta e uma proteína. Muito justo! Mas como em outras noites, acabei optando por esse mingauzinho que é mara: um pouco de aveia em flocos finos, um pouco de água fervendo, açúcar e canela. Esquenta, dá um sensação de corto e saciedade. Show!

Espero que tenha gostado das dicas e que continue acompanhando o meu diário. Todos os links você encontra aqui. Qualquer dúvida já sabe: me escreva! Beijos e até amanhã!