Você sabia que existe uma “Beverly Hills” em São Paulo?

Pois é, e a realidade dos moradores que vivem lá é bem diferente dos que vivem na cidade californiana

Segundo dados divulgados no Censo de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 11 milhões de pessoas ainda vivem em comunidades no Brasil. A situação é ainda pior para os estados de Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo: 49,8% dos domicílios localizados nesses lugares de vulnerabilidade social estão concentrados na região Sudeste. Além da falta de saneamento básico e água encanada, três em cada dez moradores desses lugares sobrevivem com menos de meio salário mínimo por mês.  

É com a iniciativa de mudança desse quadro alarmante de desigualdade social que ainda assombra o Brasil dos dias de hoje que a organização TETO, presente em 19 países da América Latina e do Caribe, atua para conseguir construir moradias mais dignas para os habitantes da comunidade. Por meio do engajamento comunitário, a associação sem fins lucrativos realiza oficinas de leitura e demais projetos que fomentam o desenvolvimento dos bairros carentes. Há uma década no Brasil, o saldo do TETO é grande: 30 mil voluntários foram responsáveis por 100 comunidades atendidas, 2400 casas emergenciais construídas e 26 projetos comunitários desenvolvidos.

Divulgação Divulgação

Divulgação (/)

Mas esses números surpreendentes não param por aí, pelo menos é o que indica a mais nova campanha lançada em março: “Conheça outra realidade bem perto de você“. Com o intuito de evidenciar a dura realidade da pobreza e da privação de direitos, a ação é focada em comunidades homônimas a muitas cidades, bairros e países que são símbolos turísticos e até financeiros; como é o caso de São Francisco, Beverly Hills e Malvinas, as duas primeiras na zona leste de São Paulo. 

De 8 a 10 de abril, cerca de 6 mil voluntários farão parte da COLETA, que ocorrerá em várias cidades brasileiras. Os interessados em ajudar nessa primeira etapa do projeto, podem se inscrever aqui. “Nossa campanha é mais do que um convite para conhecer essas comunidades, é uma passagem voluntária para o lado da transformação social”, arremata Carolina Mattar, Diretora Executiva da organização.

Confira o vídeo da campanha:

 

 

%d blogueiros gostam disto: