Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Rihanna pede fim da violência armada após morte do primo dela

Um dia após a cantora passar o Natal com ele, o rapaz foi baleado por um homem não identificado.

Por isabelavilla Atualizado em 17 jan 2020, 10h54 - Publicado em 27 dez 2017, 16h44

Rihanna pediu o fim da violência armada em post feito no Instagram dela. De acordo com a publicação, o primo da artista, Tavon Kaiseen Alleyne, foi baleado e morto por um homem não identificado.

Na terça-feira (26) – um dia após Rihanna passar o Natal com a família, em Barbados, incluindo o primo -, o rapaz estava andando pelas proximidades de Saint Michael quando foi baleado repetidas vezes por um homem ainda não identificado.

Mesmo sendo levado para o hospital local, o jovem de 21 anos não sobreviveu aos ferimentos.

Leia também: Professores que estão combatendo a violência nas escolas públicas

“Descanse em paz primo… não acredito que ontem foi o último dia que te segurei nos meus braços! Nunca pensei que seria a última vez que sentiria o calor no seu corpo!!! Sempre te amarei cara”, publicou a cantora.

View this post on Instagram

RIP cousin… can't believe it was just last night that I held you in my arms! never thought that would be the last time I felt the warmth in your body!!! Love you always man! 😢🙏🏿❤ #endgunviolence

A post shared by badgalriri (@badgalriri) on

Continua após a publicidade

Ela, mais tarde, postou um vídeo do primo, e marcou mais uma vez o Instagram dele e compartilhou a hashtag #RIPTavon. No vídeo é possível ouvir Alleyne falando que “é bom acordar” e estar com a família, no fundo toca “Love on The Brain” da cantora.

View this post on Instagram

"It's nice to wake up" Be grateful for life man. #RIPTavon @merka_95

A post shared by badgalriri (@badgalriri) on

Continua após a publicidade

Segundo o jornal Independent22 dos 28 assassinatos em Barbados, neste ano, foram à mão armada.

https://www.instagram.com/p/BRHBEGSglEp/?taken-by=merka_95

A polícia de Barbados está à procura do homem que assassinou Tavon, mas, até o fechamento desta matéria, ainda não divulgou nenhuma atualização do caso.

 

Continua após a publicidade
Publicidade