Clique e assine com até 75% de desconto

Participante negra tem a maior rejeição do BBB18: seria racismo?

Após a rejeição gigantesca de Nayara no paredão do 'BBB18', as pessoas começaram a se perguntar se ela saiu só pela fofoca mesmo.

Por Fábio Garcia Atualizado em 17 jan 2020, 08h26 - Publicado em 21 fev 2018, 12h14

Antes de anunciar o resultado do paredão da última terça-feira (20), Tiago Leifert fez um discurso para o reality contando que eles não estão lá representando grupo algum, e sim eles mesmos. Depois dessa alfinetada, o apresentador do BBB18 anunciou a saída de Nayara da casa mais vigiada do Brasil.

Enquanto a sister se despedia às lágrimas dos amigos que fez no confinamento, o letreiro na tela da televisão anunciava que ela havia saído com 92,64%, o maior índice de eliminação de todos os tempos em paredões triplos. Mas o que levou a participante a ser defenestrada da casa com um número maior até que o da bruxinha Ana Paula na semana anterior? A internet tem uma teoria: racismo.

Analisar a edição atual do ‘BBB‘ mostra que o número elevado que Nayara conseguiu foi desproporcional ao que ela causou na casa. Certo, ela foi rejeitada por fazer fofoca e por estar num paredão com pessoas queridas pelo público, mas será que foi só isso?

A eliminada na semana anterior com 89%, Ana Paula desejava o mal aos confinados, causava intrigas pesadas e tinha uma atitude próxima de uma vilã de novela. Antes de anunciar a saída da participante branca, Tiago Leifert mandou um recado para o público alertando que a rejeição na casa não quer dizer que a pessoa deve ser rejeitada do lado de fora. Na eliminação de Nayara, nem um pio foi dito sobre rejeição.

Com 92,64%, Nayara entrou nos recordes do reality show como a maior porcentagem em um paredão triplo. Considerando que ela estava disputando com outras duas pessoas, o índice parece ainda pior. Atualmente o recorde absoluto de porcentagem de eliminação foi a também negra Aline, do BBB5, que disputou com Grazi Massafera e saiu com 95%.

Analisar a trajetória das mulheres negras através das edições do ‘Big Brother Brasil’ traz uma tristeza grande. Tirando a primeira negra do reality, a Vanessa do BBB1, nenhuma outra chegou muito longe no reality. E, quando iam ao paredão, sempre conseguiam porcentagens de rejeição bem significativas. Solange do BBB4 (aquela que ficou famosa por não saber cantar corretamente a música “We Are the World”) foi eliminada com 79%. Aline do BBB13 (que ficou conhecida por seu jeito mais barraqueiro) saiu com 77% e a Roberta do BBB17 (conhecida na época como a rainha dos memes da edição) foi despachada com 79% num paredão triplo. Vale lembrar que em 18 temporadas e com mais de 200 ex-BBBs, o número de mulheres negras que entraram na competição não chega a 15.

Nas redes sociais, muita gente viu o índice de Nayara como um racismo velado da população brasileira:

https://twitter.com/MauricioRicardo/status/966145899591340032

Por mais que Tiago Leifert tenha deixado claro que nenhum brother está representando ninguém na casa, o próprio questionamento de Nayara no ‘Mais Você’ perguntando por que os negros não vencem o ‘BBB’ já pode ser parabenizado por iniciar um debate interessante a ser feito.

Continua após a publicidade
Publicidade