Botox no couro cabeludo: quando a técnica é indicada?

A técnica no couro cabeludo ajuda a diminuir temporariamente a produção do suor, deixando os fios menos oleosos

Excesso de suor nas mãos, nos pés, nas costas e, até mesmo, no couro cabeludo pode ser sinal de hiperidrose, nome científico para disfunção que causa transpiração excessiva. Uma solução cada vez mais em uso hoje em dia pelos dermatologistas para acabar com este incômodo é o uso do Botox. Sim, a mesma toxina botulínica usada também em tratamentos estéticos para eliminar as ruguinhas do rosto. Quando aplicada no couro cabeludo, esta substância ajuda a diminuir temporariamente a produção do suor pelas glândulas, acabando, assim, com a oleosidade dos fios. Saiba mais!

Como o Botox age no couro cabeludo?

Por meio de injeções, a substância é aplicada diretamente no couro cabeludo. Lá, ela bloqueia o impulso nervoso que estimula a produção de suor pelas glândulas écrinas. Essas glândulas têm uma fina camada de células musculares a seu redor, que se contraem e liberam suor para o couro. O Botox faz com que essas células fiquem paralisadas, ou seja, que não pressionem as glândulas. Assim o suor para de ser eliminado. Consequentemente, com a redução da transpiração, o cabelo não ficará mais oleoso, o que faz com que diminua o número de vezes que os fios devem ser lavados. “Mas isto é uma consequência e não um efeito direto. Os maiores benefícios nesta região são a diminuições da sudorese e da oleosidade local. Se a pessoa tiver dermatite seborreica por excesso de produção pelas glândulas sebáceas também haverá melhora”, explica a dermatologista Michele Haikal.

Pra quem é indicado?

Para pessoas que sofrem com hiperidrose no couro cabeludo. Quem diagnostica isso é um médico, que também vai indicar o método mais recomendado para tratar o caso. O procedimento deve ser feito em clínicas de dermatologia. “Por falta de estudos, é contraindicado na gravidez e aleitamento. Pessoas que têm alergia e sensibilidade à toxina botulínica ou a albumina humana não podem passar pelo procedimento”, complementa Haikal.

Quanto tempo dura?

O efeito da primeira aplicação dura de seis a 11 meses. A partir da segunda aplicação, esse tempo aumenta, pois mais toxina fica armazenada na área.

O procedimento é dolorido?

A aplicação da toxina é feita sobre as áreas onde há maior concentração de suor. Apesar de um anestésico ser aplicado na região após o procedimento, o paciente pode sentir, sim, incômodos durante o procedimento.

Divulgação Divulgação

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s