Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Seu filho, um profissional bem-sucedido

Como ensinar as 10 competências que seu filho precisa saber para ter sucesso na profissão, quando entrar no mercado de trabalho. Detalhe: elas não são ensinadas na escola

Por Suzana Lakatos (colaboradora) Atualizado em 27 out 2016, 22h41 - Publicado em 29 ago 2010, 22h00

Motive seu filho a se conhecer e descobrir os próprios desejos e talentos naturais
Foto: Getty Images

Os pais começam a se preocupar com o futuro dos filhos cada vez mais cedo. A antiga segurança de que o diploma universitário garantiria um bom emprego já não existe. 

A boa formação acadêmica é apenas o bilhete de ingresso para o mercado de trabalho, em que a conquista de um lugar exige competências que não se aprendem na escola. ”Hoje se considera que apenas 15% do sucesso profissional deva-se à formação acadêmica”, afirma a psicóloga Mary Nicoliello, que orienta executivos e adolescentes em busca de preparação profissional. ”Os 85% restantes estão ligados a questões comportamentais, como a habilidade de lidar com o inesperado, a autonomia e a capacidade de interagir com culturas e pessoas diferentes.”

 

Dicas para preparar seu filho ao mercado de trabalho

1. Flexibilidade
Os avanços em todas as áreas acontecem cada vez mais rápido. É fundamental cultivar múltiplos interesses, manter-se atualizado e estar disposto a abrir mão de antigas convicções em favor das novas descobertas. Também não dá para saber o que será essencial no futuro. Por isso é tão importante cultivar a desenvoltura para transitar por diferentes ocupações. 

O que ajuda
”O hábito da leitura é básico em um mundo que exige formação continuada”, aconselha Leo Fraiman. Os livros ensinam a pensar, imaginar, criar, analisar o mundo e as pessoas.” Por isso, vale a pena estimular seu filho a ler, mas também é ótimo compartilhar os livros e conversar interessadamente sobre o que ele está lendo. 

2. Convivência
Conviver e lidar com pessoas de outras culturas, ritmos, estilos, valores e crenças é indispensável no mundo atual, de acordo com Leo Fraiman. Hoje, a maioria das empresas de sucesso procura recrutar perfis diferentes para reproduzir internamente a realidade do mercado. Como as organizações estão cada vez mais enxutas, características como bom humor, respeito e educação facilitam o convívio. 

Continua após a publicidade

O que ajuda
Estabeleça limites claros e exija que seu filho os cumpra. Mostre a importância de respeitar regras, como horários e uso do uniforme escolar. Ensine-o a perceber os códigos sociais de cada situação – como adotar postura e roupa adequada ao ambiente – e a desenvolver empatia pelas necessidades e valores das outras pessoas. 

3. Iniciativa
É um trunfo surpreender o cliente ou o empregador com soluções que ultrapassem as expectativas. Em um mundo dinâmico e em constante transformação, ficar preso a antigas fórmulas pode ser um tiro no pé para o desenvolvimento de uma carreira de sucesso. 

O que ajuda
Proporcione programas variados – nas artes, na música, no esporte – para que seu filho adquira interesses diversificados e se sinta especialmente motivado a buscar atividades em áreas múltiplas. Além disso, segundo Fraiman, ele precisa ser treinado para ”se virar”: tornar-se independente e buscar soluções para os problemas. Os pais podem oferecer apoio, mas devem resistir à tentação de resolver tudo no lugar dele. 

4. Ética
As próximas gerações precisarão adotar posturas íntegras em relação a trabalho, colegas, fornecedores, clientes e parceiros. As empresas estão cada vez mais aprendendo que o ”jeitinho” pode comprometer sua imagem e levar à perda de negócios. A sustentabilidade é outro lema atual do mundo corporativo e implica ser ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. ”Na rotina profissional, isso se traduz em atitudes como não querer tirar vantagem do outro, remunerar adequadamente funcionários e prestadores de serviços, pagar impostos e reciclar materiais”, ensina Tania Casado, professora de gestão de pessoas da Faculdade de Economia e Administração da USP. 

O que ajuda
Valores claros dentro de casa contribuem para consolidar atitudes éticas. ”Pais que não respeitam semáforo, jogam lixo pela janela do carro e desperdiçam água e energia não podem esperar que o filho tenha condutas corretas”, alerta Tania. ”Os exemplos começam em casa.” Outra boa medida é discutir em família fatos cotidianos que coloquem aspectos éticos em xeque, como os recentes casos de corrupção. 

5. Criatividade
Está ligada à capacidade de mudança e inovação, à imaginação, à sensibilidade e ao senso estético. No dia-a-dia de uma empresa, significa aceitar que existem diferentes saídas para um mesmo problema. 

O que ajuda
Varie os caminhos entre casa e escola, busque programas diferentes para realizar em família e proponha desafios, como o de preparar a própria comida em vez de descongelar uma pizza. Idas ao cinema, teatro, exposições e espetáculos devem ser incentivadas, pois essas atividades alimentam a imaginação. 


 

Continua após a publicidade
Publicidade