Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Paulistana cria A Jornada, uma corrente do bem para ajudar as pessoas

O projeto começou quando a paulistana Renata Quintella foi para as ruas da cidade perguntar se podia fazer algo por quem encontrasse. Agora, A Jornada intermedia a relação entre quem precisa de ajuda e quem quer ajudar

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 20h42 - Publicado em 9 jul 2013, 21h00

Algumas vezes, um abraço era tudo que as pessoas precisavam
Foto: Divulgação

Como você reagiria se um desconhecido lhe abordasse na rua perguntando: o que eu posso fazer por você agora? Pois foi com essa pergunta na ponta da língua que a roteirista Renata Quintella percorreu os bairros de Pinheiros e Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, no último dia 5 de julho. Junto com oito amigos, entre fotógrafos e cinegrafistas, ela conversou com as pessoas, ouviu histórias e desabafos e ajudou como pôde. Renata conta que o objetivo do projeto A Jornada é mostrar que um ser humano pode fazer muito pelo outro. “Não tenho condição de dar dinheiro, casa, terreno… mas eu posso ajudar essas pessoas agora e dar esperanças para elas continuarem sonhando”, ela explica. Na caminhada, Renata ajudou uma senhora a carregar sacola e um homem a puxar uma carroça de sucata, comprou uma vassoura para ajudar o vendedor, deu muitos abraços e até preparou uma festa de aniversário. A aniversariante é sua xará e, grávida e com vários problemas pessoais, contou que estava sozinha na cidade. Renata se emocionou com a história da moça porque também já esteve sozinha no seu aniversário, quando tinha mais ou menos a mesma idade dela, 27 anos. No blog do projeto, ela diz: “me emocionei vendo que eu não estava mais só, mas que no fundo a solidão é minha eterna companheira”.

 

Paulistana cria A Jornada, uma corrente do bem para ajudar as pessoas

Renata ajudou a preparar uma festa de aniversário para a sua xará
Foto: Divulgação

E A Jornada não terminou naquele dia. Depois que o projeto começou a ser divulgado, muita gente passou a contatar Renata por email ou pela fanpage no Facebook para pedir, oferecer ou agradecer a ajuda. São cerca de 300 emails por dia. Uma mulher quis ajudar uma família de moradores de rua e Renata a orientou na busca por uma barraca, roupas de frio e fraldas. Uma mãe, de Americana, no interior de São Paulo, pediu ajuda para organizar a festa de aniversário de sete anos da filha e Renata intermediou, encontrando gente na cidade disposta a ajudar. O projeto começa a tomar a forma de uma corrente do bem, com Renata como intermediadora. Agora, ela busca patrocinadores para poder expandir a ideia e está trabalhando no piloto de uma série para TV a cabo. E no dia 20 de agosto, quando completa 40 anos, ela pretende voltar para a rua à procura de mais pessoas para ajudar.

 

Paulistana cria A Jornada, uma corrente do bem para ajudar as pessoas

Renata conversa com um vendedor de vassouras, o senhor José Bezerra
Foto: Divulgação

Para participar ou saber mais sobre o projeto, entre em contato pelo email jornadanossa@gmail.com ou pela fanpage no Facebook

Continua após a publicidade
Publicidade