Maneiras criativas para economizar espaço: decoração completa de dois apartamentos pequenos

Arquitetos e designers ensinam maneiras criativas para ganhar sensação de amplitude em casa

Se vira nos 50m ou menos! Arquitetos e designers de interiores ensinam maneiras criativas para economizar espaço e ganhar sensação de amplitude em residências pequenas, que são cada vez mais comuns:

TUDO JUNTO

O ambiente 100% integrado faz com que o apartamento de 44 metros quadrados projetado pelo escritório de arquitetura Triplex, de São Paulo, pareça maior e acomode, confortavelmente, um casal. Além da ausência de divisórias, adotou-se o mesmo piso para todos os ambientes. “Ele pode cobrir até a varanda, se ela for fechada com vidros”, explica a arquiteta responsável, Carolina Oliveira. 

Manu Oristanio/Huma Incorporadora Manu Oristanio/Huma Incorporadora

Manu Oristanio/Huma Incorporadora (/)

Manu Oristanio/Huma Incorporadora Manu Oristanio/Huma Incorporadora

Manu Oristanio/Huma Incorporadora (/)

Outro recurso que proporciona amplitude é a cartela de cores clara – inclusive na madeira. “Diferentemente do acabamento branco, ela ainda oferece a sensação de aconchego”, completa ela. 

Manu Oristanio/Huma Incorporadora Manu Oristanio/Huma Incorporadora

Manu Oristanio/Huma Incorporadora (/)

Como não há sala de jantar, o balcão foi integrado à cozinha. A mesa, na varanda, reúne os amigos em datas especiais. A televisão fica em um suporte giratório e pode ser vista tanto do sofá quanto da cama. Espelhos na sala e nas portas do armário do quarto aumentam a iluminação e a profundidade do espaço. Mais um truque: evite o teto de gesso e deixe o acabamento no forro. “Fica um clima moderninho e não perde o pé-direito alto”, conta Carolina

Manu Oristanio/Huma Incorporadora Manu Oristanio/Huma Incorporadora

Manu Oristanio/Huma Incorporadora (/)

EM FAMÍLIA

Os donos deste apartamento buscavam conforto para viver com as duas filhas, mas sem perder o charme na hora de receber amigos. Para isso, a designer de interiores Adriana Fontana, de São Paulo, investiu em móveis multiúso na sala. A mesinha branca (ao lado do sofá) pode ser desdobrada em duas partes, que, na presença de convidados, viram mesa de centro.

Luis Gomes Luis Gomes

Luis Gomes (/)

Guardado sob o móvel da TV, o pufe funciona como banquinho ou apoio. Fixo, o banco (com encosto) estampado ocupa menos espaço do que cadeiras e comporta mais pessoas à mesa. Ganha aproveitamento extra se for um baú: “Daí, vira uma pequena despensa”, sugere a designer. A parede entre a sala e a cozinha foi ampliada com cobogós – o que permitiu a colocação de um sofá grande. “Eles separam os ambientes e mantêm a boa iluminação e a circulação de ar”, explica Adriana.

Luis Gomes Luis Gomes

Luis Gomes (/)

 

No quarto das crianças, um único móvel comporta as duas camas, gavetas para guardar brinquedos e a escrivaninha. A posição e o desnível dos colchões garantem o melhor aproveitamento da área, sem a sensação de aperto. Por fim, no quarto do casal, um espelho garante amplitude.

Luis Gomes Luis Gomes

Luis Gomes (/)

Luis Gomes Luis Gomes

Luis Gomes (/)