Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Jada Pinkett-Smith pede boicote ao Oscar pela ausência de negros entre os indicados

A atriz postou um vídeo em seu Facebook pedindo que negros permaneçam em seu local de poder

Por Luciana Teixeira (colaboradora) - Atualizado em 21 jan 2020, 15h33 - Publicado em 18 jan 2016, 13h11

Na manhã desta segunda-feira (18) a atriz Jada Pinkett Smith pediu aos seus seguidores nas redes sociais que boicotem o Oscar. O motivo? Nenhum ator negro foi indicado ao prêmio.

Jada pergunta: “não está na hora do povo negro reconhecer quanto poder e influência têm acumulado, que nós não precisamos ser convidados para estar em qualquer lugar?” e que “talvez seja tempo de reconhecer que se nós nos amamos e respeitamos e conhecemos nós mesmos da maneira que pedimos que os outros façam, esse é o lugar do verdadeiro poder“.

Ela segue fazer uma reflexão a respeito da ausência de negros entre os indicados ao Oscar 2016: “A Academia tem o direito de reconhecer seja lá quem eles escolham. De convidar seja lá quem eles queiram. E eu acho que é nossa responsabilidade, agora, fazer a mudança. Talvez seja a hora de juntarmos nossos recursos e aplicarmos em nossa comunidade, em nossos programas, e fazer programas para nós mesmos, que nos reconheçam de uma forma em que a gente ache adequado, e que sejam tão bons quanto os da grande mídia. Implorar por reconhecimento, ou mesmo pedir por reconhecimento, diminui a dignidade e o poder. E nós somos pessoas dignas e poderosas. Não vamos esquecer disso. Então deixa a Academia fazer isso, com toda graça e amor, e vamos nós fazer diferente.”  

Fazendo coro ao pedido da atriz, o diretor Spike Lee publicou em sua conta no Instagram uma foto de Martin Luther King Jr. e disse que era inaceitável que, por dois anos seguidos, somente atores brancos fossem indicados ao prêmio.

 

#OscarsSoWhite… Again. I Would Like To Thank President Cheryl Boone Isaacs And The Board Of Governors Of The Academy Of Motion Pictures Arts And Sciences For Awarding Me an Honorary Oscar This Past November. I Am Most Appreciative. However My Wife, Mrs. Tonya Lewis Lee And I Will Not Be Attending The Oscar Ceremony This Coming February. We Cannot Support It And Mean No Disrespect To My Friends, Host Chris Rock and Producer Reggie Hudlin, President Isaacs And The Academy. But, How Is It Possible For The 2nd Consecutive Year All 20 Contenders Under The Actor Category Are White? And Let’s Not Even Get Into The Other Branches. 40 White Actors In 2 Years And No Flava At All. We Can’t Act?! WTF!! It’s No Coincidence I’m Writing This As We Celebrate The 30th Anniversary Of Dr. Martin Luther King Jr’s Birthday. Dr. King Said “There Comes A Time When One Must Take A Position That Is Neither Safe, Nor Politic, Nor Popular But He Must Take It Because Conscience Tells Him It’s Right”. For Too Many Years When The Oscars Nominations Are Revealed, My Office Phone Rings Off The Hook With The Media Asking Me My Opinion About The Lack Of African-Americans And This Year Was No Different. For Once, (Maybe) I Would Like The Media To Ask All The White Nominees And Studio Heads How They Feel About Another All White Ballot. If Someone Has Addressed This And I Missed It Then I Stand Mistaken. As I See It, The Academy Awards Is Not Where The “Real” Battle Is. It’s In The Executive Office Of The Hollywood Studios And TV And Cable Networks. This Is Where The Gate Keepers Decide What Gets Made And What Gets Jettisoned To “Turnaround” Or Scrap Heap. This Is What’s Important. The Gate Keepers. Those With “The Green Light” Vote. As The Great Actor Leslie Odom Jr. Sings And Dances In The Game Changing Broadway Musical HAMILTON, “I WANNA BE IN THE ROOM WHERE IT HAPPENS”. People, The Truth Is We Ain’t In Those Rooms And Until Minorities Are, The Oscar Nominees Will Remain Lilly White. (Cont’d)

A photo posted by Spike Lee (@officialspikelee) on Jan 18, 2016 at 5:03am PST

//platform.instagram.com/en_US/embeds.js

” #Oscarssowhite… De novo.

Eu gostaria de agradecer ao Presidente Cheryl Boone Isaacs e a diretoria de governadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas por me concederem um Oscar honorário em novembro passado. Eu estou muito agradecido. No entanto, minha esposa Sra. Tonya Lewis Lee e eu não poderemos comparecer à cerimônia de entrega do Oscar em fevereiro. Nós não podemos apoiar e eu não quero desrespeitar meus amigos, o apresentador Chris Rock e produtor Reggie Hudlin, o Presidente Isaac e a Academia. Mas, como é possível pelo segundo ano consecutivo todos os 20 concorrentes na categoria de ator serem brancos? E nem vamos mencionar as outras categorias. 40 atores brancos em dois anos. Nós não podemos atuar? WTF!

Continua após a publicidade

Não é coincidência que eu esteja escrevendo isso no 30º aniversário de Martin Luther King Jr. Dr. King disse: ‘Chega um momento em que temos que tomar uma posição que não é segura, política ou popular. Mas nós temos que tomar porque a consciência diz que é o certo.’ Por muitos anos, quando as indicações ao Oscar eram reveladas, o telefone do meu escritório não parava de tocar com a mídia me perguntando qual minha opinião sobre a quantidade de afro-americanos e esse ano não foi diferente. Por uma vez, (talvez) eu gostaria que a mídia perguntasse a todos os indicados brancos e aos cabeças dos grandes estúdios como eles se sentem com outra premiação inteiramente branca. Se alguém fez esta abordagem e eu perdi, então estou enganado.

Pelo o que eu vejo, o prêmio da Academia não é ‘o campo de batalha real’ . Ele está nos escritórios executivos dos estúdios de Hollywood, na TV, na TV a cabo. É ali que os porteiros decidem o que fica e o que vira sucata para ser reciclada ou descartada. É isso que importa. Os porteiros. Aqueles com a ‘luz verde’ da votação. Como o grande ator Leslie Odom Jr. cantou e dançou no jogo musical da Broadway HAMILTON, ‘EU QUERO ESTAR NA SALA ONDE ACONTECE’. Pessoas, a verdade é que nós não estamos nestas salas e enquanto as minorias não estiverem, os indicados ao Oscar serão lírios brancos.”

Sobre a participação do comediante Chris Rock como apresentador e Regie Hudlin como produtor, Jada twitou que ‘no Oscar…as pessoas de cor servem para entregar prêmios…até entreter, mas raramente nós somos reconhecidos pelas nossas habilidades artísticas. Deviam as pessoas de cor deixar de participar todas juntas?’

At the Oscars…people of color are always welcomed to give out awards…even entertain, (pt. 1)

— Jada Pinkett Smith (@jadapsmith) 16 janeiro 2016

//platform.twitter.com/widgets.js

But we are rarely recognized for our artistic accomplishments. Should people of color refrain from participating all together? (pt 2)

— Jada Pinkett Smith (@jadapsmith) January 16, 2016

//platform.twitter.com/widgets.js

Continua após a publicidade
Publicidade