Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

FINALMENTE, o amor venceu! Itália aprova união civil entre homossexuais

O Parlamento italiano anunciou hoje (11) a aprovação da lei que permite a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Por Redação Brasil Post - Atualizado em 21 jan 2020, 10h16 - Publicado em 11 Maio 2016, 15h05

O Parlamento da Itália aprovou, nesta quarta-feira (11) as uniões civis entre casais homossexuais. Com a aprovação, a Itália se torna um dos últimos países da Europa Ocidental a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo. De acordo com a BBC, a questão foi altamente controversa na Itália, por conta da resistência dos católicos conservadores.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

l'Italia raggiunge il resto d'Europa sui diritti alle coppie gay. 💜💙💚💛❤️ #Italia #Italy #marriageequality #lgbt #civilunion #lovewins #unionicivili

A post shared by TopGayNewz 🔝🏳️‍🌈🗞 (@topgaynewz) on

Continua após a publicidade

A votação na Câmara dos Deputados registrou 369 a favor e 193 contra. A sessão ocorreu com o voto de confiança do premiê Matteo Renzi. Dessa forma, com a aprovação da Câmara, o projeto de torna lei. Após a aprovação da medida, o chefe de governo comemorou nas redes sociais, e afirmou que pediu pelo voto de confiança para evitar mais atrasos na tramitação. Entre os opositores da lei estão membros do próprio partido de Renzi.

Continua após a publicidade

“Hoje é um dia de celebração para muitos (…) Estamos escrevendo uma outra importante página na Itália que nós queremos.. Não era mais aceitável ter atrasos após anos de tentativas frustradas”.

O projeto de lei, no entanto, foi criticado por não discorrer sobre o direito de adoção. Segundo a agência italiana ANSA o projeto original estendia a “adoção de enteados” aos casais do mesmo sexo e equiparava a união civil ao casamento. Pressionado pelo Senado, que votou em fevereiro, o governo suprimiu esses dois pontos, o que torna a aprovação de hoje um grande passo, mas mostra também um longo caminho.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Non voglio spendere molte parole questa sera. Oggi l'Italia ha scritto una pagina di civiltà, giustizia, diritti. Siamo solo all'inizio, ma concedetemi un momento di commozione. Oggi festeggiamo trent'anni di mobilitazione, nelle piazze, nelle scuole, nei comitati. Trent'anni di sofferenza e determinazione. Voglio ringraziare tutte le persone che hanno pianto e gioito con me in questi anni in cui ho messo la faccia in questa battaglia di civiltà. Oggi sono felice. Abbiamo avuto coraggio. Questa è la fontana di Trevi, e oggi ha i colori dell'arcobaleno, i  colori della libertà e della vita. Siamo solo all'inizio, ma è un bellissimo inizio. Grazie.

A post shared by Pietro Turano (@eropietro) on

Continua após a publicidade

Críticos da lei, que permite que casais do mesmo sexo usem o sobrenome dos parceiros e garante direitos como pensões, afirmam que se comparados aos dispositivos legais vigentes nos EUA, no Canadá e em outros países europeus, a lei italiana oferece poucas garantias legais. Enquanto uma legislação específica para o tema não for votado, os casos de adoção envolvendo casais gays devem ser julgados isoladamente, mesmo que a criança seja filha biológica de um dos parceiros. Em relação a equiparação com o casamento, a clausula que remete à obrigação fidelidade foi removida do projeto de lei.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

⚡️ “Italy takes a step towards recognizing same-sex marriage” After decades of struggle by gay rights groups, and months of contested political negotiations, the Italian Parliament on Wednesday evening gave final approval to a law recognizing civil unions of same-sex couples. The vote — 372 to 51, with 99 abstentions — was followed by long applause in the Chamber of Deputies, the lower house of Parliament. At the Trevi Fountain in Rome, people with rainbow flags gathered to celebrate. It was a historic occasion for a nation that is still dominated by the Roman Catholic Church, which opposed the measure, and where traditional family norms are still strong. It was also a victory for Prime Minister Matteo Renzi, who supported the bill. Nearly every Western country has legalized same-sex marriage or some form of civil union for gays and lesbians. Italy was perhaps the most prominent exception, and the issue has generated considerable controversy. Proponents of same-sex unions have complained that the law falls short of granting full equality to same-sex couples. In particular, it does not recognize same-sex marriages. It will not allow someone in a same-sex civil union to legally adopt his or her partner’s biological child. A so-called stepchild adoption provision was vehemently opposed by center-right parties and by the church and was ultimately dropped from the legislation. #lgbt #equality #Italy #marriageequality #unionicivili

A post shared by TopGayNewz 🔝🏳️‍🌈🗞 (@topgaynewz) on

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

It was about time, Italy! #gaymarriage #civilpartnership #amore #italy #finally #gaykiss #gayitaly #kiss #gayrights #gaypride #marriageequality #gay #instagay #gaydudes #gaylove #gayfollow #boyslove #boyfriends #gaycouple #husbands #kiss #gaylife #gaypic #love #gaytravel #travelingram #travelgram #traveller #aroundtheworld #lgbt

A post shared by Mirko & Davide (@2pipini) on

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Italy say YES . #equality #gay #lgbt #unionicivili #equalitymarriage #love #universallove #rome #gayrainbow @id_italy @i_d

A post shared by NMG (@nicolasmartingarcia) on

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade