Estou aliviado, mas não feliz, diz cunhado de Hickmann sobre absolvição

Ele foi acusado de matar o homem que invadiu o quarto da apresentadora e baleou sua mulher, Giovana

“Estou aliviado e satisfeito, mas não feliz. Não dá pra ficar feliz e sorrir numa situação como essa. É uma situação bizarra e absurda.” Foi assim que Gustavo Correa, irmão do marido de Ana Hickmann, comentou nas redes sociais a sua absolvição. Ele foi acusado de matar o homem que invadiu o quarto da apresentadora e baleou sua mulher, a assessora Giovana Oliveira, em maio de 2016, em Belo Horizonte.

 

Giovana também falou em alívio. “Uma sombra saiu das nossas costas. Não sabíamos que a decisão sairia hoje, foi no meio do dia. O advogado ligou para o Guto [apelido do marido] e ele me avisou. Foi muita espera, dois anos é muito tempo. Mas agora é o fim de um ciclo e vamos comemorar com família e amigos”, disse Giovana, que foi baleada pelo agressor.

Giovana conta a CLAUDIA que ela e o marido pensam recorrentemente no que aconteceu. “Faz parte da nossa história. Eu tenho cicatrizes pelo corpo e lembro quando olho no espelho, mas, dos males, o menor.” Após ser baleada, Giovana ficou internada em Belo Horizonte até o dia 25 de maio e, depois, transferida para o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ela teve alta no dia 2 de junho de 2016.

Apesar da alegria pela absolvição, Giovana também pontua a tristeza pela morte do fã. “É uma vida que se perde. É muito triste tirar uma vida.”

Giovana diz que já sentiu raiva e indignação pelo que aconteceu. “Raiva da pessoa, da família não ter visto que precisava de tratamento. Mas, com o tempo, vai passando. É uma família que também sofre porque perdeu um filho. A gente tem que aprender a se colocar no lugar do outro.”

Nesta terça-feira (3), a juíza do 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, Âmalin Aziz Sant’Ana, decidiu que Gustavo agiu em legítima defesa ao atirar em Rodrigo Augusto de Pádua, que se dizia fã da apresentadora. O crime aconteceu dentro de um hotel no bairro Belvedere. A decisão também determinou que Gustavo não irá a júri popular.

O cunhado de Ana Hickmann foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio doloso, quando há intenção de matar. O argumento do promotor Francisco Santiago é que houve excesso de legítima defesa _Rodrigo foi morto com três tiros na nuca_, o que configuraria crime de homicídio.

A Promotoria ainda pode recorrer da decisão. “Não acredito que o promotor vá recorrer, levar isso adiante. Não tem nada de novo. É assunto encerrado”, disse Giovana. “A gente já vê um céu azul pela frente”, comentou Gustavo.

Leia mais: Ana Hickmann sobre fã: “É difícil superar”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s