CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Esta jovem foi pedida em casamento bem no estádio do seu time do coração

Natalia Carosio disse "sim" em um de seus lugares preferidos no mundo todo e, nas linhas a seguir, divide a experiência com você.

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 16 jan 2020, 13h01 - Publicado em 14 jun 2018, 22h54

A Copa do Mundo está entre nós! O mundial começou oficialmente nesta quinta-feira (14), em meio a muitos memes, algumas polêmicas e a linda voz da cantora russa Aida Garifullina embalando a cerimônia de abertura, ao lado de Robbie Williams. Aqui, no famoso “país do futebol”, como sempre o clima é de empolgação – esta é a melhor época do ano para os apaixonados (e apaixonadas!) pelo esporte, que têm a chance de respirá-lo 24 horas por dia e, claro, gritar a plenos pulmões o quanto amam ou não a Seleção Brasileira.

Leia Mais: Fernanda Gentil, lógico, deu uma zoada na proibição absurda da Rússia

Nós, do MdeMulher, somos fãs de carteirinha não só de futebol, mas também de boas histórias de amor. Quando os dois se encontram, então, é como se fosse gol do Brasil.

Por isso, e aproveitando toda essa vibe futebolística no ar, decidimos dividir com vocês as aventuras em torno do pedido de casamento da publicitária Natalia Carosio, que envolveu suas duas maiores paixões: o Danilo Vaz, engenheiro de software e seu atual marido, e o Palmeiras (de São Paulo), time de futebol do coração da Natalia desde criancinha.

Amor à primeira vista

“Desde que me entendo por gente sou apaixonada por futebol. Nasci em um tempo de crise para o meu time, mas me lembro muito bem da sensação que tive no primeiro título que vi o Palmeiras vencer. Era a semana do Dia dos Namorados de 1993, eu tinha apenas nove anos e, claro, nem pensava em namorar. Estava brincando com uma bolinha de quicar – dessas que se compra com moedas -, e deixei ela rolar para debaixo da minha cama. Bem nessa hora o Palmeiras (time da família) fez o primeiro dos quatro gols em cima do nosso maior rival (o Corinthians). Meu pai, como torcedor supersticioso que é, fez com que eu acabasse de ver o jogo lá mesmo, debaixo da cama: “Você deu sorte para o Verdão!”, disse.

E lá fiquei, me sentindo o trevo verde de quatro folhas do nossa grande conquista no Campeonato Paulista. Foi assim que começou minha primeira história de amor”, conta, em entrevista exclusiva ao MdeMulher.

A segunda paixão

“Depois de muitos anos, muitos amores, desamores, lágrimas, gritos de ‘gol’, decepções e uma vida inteira de altos e baixos, eu conheci o Danilo. Era 31 de outubro de 2016. Após uma noitada de Halloween , despertei na maior ‘rebordosa’ (cheguei em casa às oito da manhã), por volta das 13h30. Acordo para ver o celular e lá estava ele, me chamando [para almoçar] pelo chat. Uma hora  depois nos encontramos perto de casa: sentamos, bebemos, conversamos e fomos fumar um cigarro. Quando chegamos lá fora, ele me beijou. Na sequência, me disse que eu era a mulher da sua vida e me pediu em casamento. ‘Como assim?’.

Continua após a publicidade

Aceitei, brincando, e não fazia ideia de tudo que viria depois – nossa história foi arrebatadora! Nesse mesmo dia ele veio jantar em casa, essa ‘janta’  virou café da manhã, um almoço, outro jantar, outro café…

Teoricamente, ficamos por 40 dias até o pedido [oficial] de namoro. Depois, namoramos por mais 23 dias, até assumirmos que já estávamos morando juntos desde sempre – porque depois daquele [primeiro] jantar, o Danilo nunca mais saiu daqui”.

Natalia e Danilo, no estádio do Palmeiras
Natalia e Danilo, em clima de romance no estádio do Palmeiras Natalia Carosio/Acervo pessoal

‘Eu aceito!’

“Dia 27 de novembro é o aniversário dele, e coincidentemente o Palmeiras iria disputar mais um título. Naquele dia, ele deixou qualquer festividade de lado para me acompanhar e comemorar o título comigo, e essa foi uma das grandes provas de amor que ele me deu – foi assim que ele entendeu a minha paixão pelo futebol.

Em 2017, também na semana do Dia dos Namorados (como há 24 anos), fui acompanhada do meu irmão e do Danilo em uma visita ao Allianz Parque (na época, o novo estádio do Palmeiras). Eu estava tão deslumbrada com a visita aos bastidores, que nem notei que aquilo era uma romântica surpresa.

Natalia e Danilo, no estádio do Palmeiras
Da esquerda para a direita: Rafael, irmão de Natalia, Danilo e ela – mais uma vez, no Allianz Parque Natalia Carosio/Acervo pessoal

Assim que chegamos ao ‘gramado em que a luta o aguarda…’, Danilo se ajoelhou no chão, em meio à multidão, tirou uma pequena caixa do bolso e disse palavras lindas, seguido do: ‘Natalia, você aceita se casar comigo?’ – e me oferecendo um anel de noivado.

Anel de noivado
Olho no lance: esse é o anel de noivado que a Natalia ganhou do Danilo! Natalia Carosio/Acervo pessoal

‘Sim, eu aceito!’, dessa vez foi tudo pra valer.

Casamos em agosto desse mesmo ano, com uma festa íntima. Eu fui de vestido branco e sapato verde – afinal, verde e branco [as cores do Palmeiras] estão no coração. E aqui estou eu hoje, também na semana dos namorados, contando a história da minha primeira paixão e da minha eterna paixão”, encerra.

Poderia ser uma série da Netflix ou até um filme de comédia romântica, daqueles que a gente não se cansa de assistir. Mas é só vida real, mesmo, e a prova viva de que o esporte pode unir (ainda mais) duas pessoas. 

Continua após a publicidade
Publicidade