Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Entenda por que Rapinoe criticou a FIFA por dobrar a premiação feminina

A atacante norte-americana é uma das vozes mais fortes na luta pelos salários iguais para homens e mulheres no futebol.

Por Daniella Grinbergas - Atualizado em 15 jan 2020, 13h33 - Publicado em 7 jul 2019, 16h09

Craque da Copa do Mundo, a atacante campeã norte-americana Megan Rapinoe faz barulho também fora de campo. Ela é uma das atletas mais ativas na luta pela equiparação salarial entre jogadores e jogadoras.

Dessa vez, ela se destacou ao comentar um anúncio da FIFA que, teoricamente, era uma medida de incentivo ao futebol feminino. Às vésperas da final, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, prometeu dobrar as premiações do Mundial. O motivo seria para se comemorar, mas a atacante fez o alerta: “Ainda não é justo. Deveriam dobrar e dobrar e quadruplicar da próxima vez. Isso que quero dizer sobre sermos respeitadas, sobre a FIFA não tratar igual”, disse.

O problema é que, mesmo dobrando os valores, a diferença é ridícula: as mulheres levariam R$ 60 milhões contra R$ 400 milhões do futebol masculino.

E hoje (7), no momento da premiação na Final da Copa do Mundo, Infantino foi vaiado pelo público de quase 60 mil torcedores no estádio de Lyon, e ouviu gritos de “equal pay“, pagamentos iguais, em inglês.

Continua após a publicidade

Boa, Rapinoe! Vamos fazer barulho juntas para chegar lá.

 

Publicidade