Como ser reconhecida no trabalho sem virar chefe

Confira as dicas para se tornar uma profissional reconhecida e realizada mesmo sem virar a chefe

Atenção: tome cuidado para não parecer acomodada ou pouco interessada
Foto: Getty Images

 

O topo da carreira não é o sonho de consumo de 100% das mulheres. Afinal, hoje a posição de destaque implica fazer cada vez mais concessões. A boa notícia é que dá, sim, para ser uma profissional reconhecida (e realizada) mesmo sem sentar na cadeira da chefia

Segundo os especialistas, cada vez mais profissionais desejam ser reconhecidas no trabalho, mas não almejam o cargo de chefia. “Muitas não querem ser altas executivas. Desejam dedicar-se a outras áreas de interesse”, observa Agnelson Correali, consultor de recursos humanos, de São Paulo. Mas será possível fazer essa escolha e ainda assim ser respeitada e valorizada no ambiente profissional? Sim, só que não é fácil. O caminho passa por saber se posicionar, impor limites e conduzir negociações que preservem a vida pessoal sem comprometer seu trabalho. Afinal, essa ainda é uma postura inovadora, que veio com a consolidação das conquistas femininas. Não precisamos mais superar nossos limites para provar que somos capazes. Porém, apesar de as organizações estarem cientes dessa mudança de atitude e mais empenhadas em proporcionar qualidade de vida aos funcionários, nem todas reconhecem profissionais que não querem sempre mais e mais. Por isso, ao assumir que não está focada em sentar na cadeira do chefe, tome cuidado para não parecer acomodada ou pouco interessada. “É essencial saber a medida ou pode acabar perdendo o emprego”, alerta a coach e psicóloga organizacional Rosana Bueno, de São Paulo.

Tenha em mente que abrir mão da guerra por uma das escassas vagas do alto escalão não significa ficar parada. As organizações andam cada vez mais enxutas e querem montar times de gente comprometida. Para que sua estratégia de parar no meio da escada garanta o almejado equilíbrio, adote as atitudes a seguir, indicadas por experts em carreira.

1. Tornar-se uma especialista

Pense na pirâmide da organização. Está claro que nem todo mundo pode ser diretor e presidente, pois o caminho vai ficando mais estreito na subida. Mas o gestor precisa ter colaboradores competentes e de confiança. É aí que você entra. “Faça cada vez melhor o seu trabalho e se aprofunde nele. Nas empresas, há espaço para especialistas que desempenhem com extrema sabedoria aquela tarefa minuciosa e técnica, sem passar o tempo inteiro competindo para assumir cargos de chefia”, acredita Rosana. Uma das manobras indicadas por ela é investir em cursos específicos que a tornem cada vez mais excelente no que faz. “Para ser uma expert, é preciso ter mestrado e MBA. Em contrapartida, considero desnecessário se especializar em gestão de pessoas e liderança. Você será valorizada se focar a carreira na sua área específica”, indica.

2. Deixar claros seus limites

Converse com seu gestor e diga a ele qual é a carga horária e o número de tarefas que está disposta a encarar. Explique que, apesar de desempenhar suas tarefas com competência, você não pretende abrir mão de fins de semanas, feriados e das sagradas férias. Tome cuidado para não parecer pedante ou pouco motivada. Se foi contratada para determinada função, tem de arcar com todas as responsabilidades do cargo. O mais indicado é combinar o jogo logo no início do relacionamento com a chefia, antes mesmo de aceitar o emprego. “É importante mostrar ao seu superior hierárquico quais são os seus objetivos profissionais. Para tanto, tenha muito definido para si mesma o tipo de ascensão que combina com você. Só assim conseguirá dedicar-se aos outros afazeres sem culpa. Se não estiver firme em suas convicções, pode acabar cedendo e entrando num ritmo de trabalho que não deseja”, alerta Agnelson.

3. Não se preocupar tanto com network

Quem não quer um cargo de diretora a qualquer custo não precisa ficar obcecada por network. Sim, é aconselhável manter boas relações com colegas do setor em que trabalha. Mas, se o projeto maior da sua vida não for a ascensão profissional, dá para relaxar e almoçar sozinha de vez em quando. “Mesmo que contatos sejam valiosos, você não tem de estar tão ligada nisso como quem deseja um cargo de liderança”, diz Correali.

4. Manter a vida pessoal em primeiro plano

Você fará o MBA, mas pode colocar na frente da especialização aquele sonhado curso de fotografia, náutica, paraquedismo ou gastronomia. “Diferentemente do profissional que está na briga pela liderança, quem não deseja os altos cargos de chefia pode se permitir o luxo de investir em atividades extracurriculares”, afirma Agnelson Correali. Para que esses hobbies sejam bem aproveitados, é necessário programação. Procure encaixá-los em dias da semana mais tranquilos na empresa ou aos sábados. Assim, fica mais fácil não se frustrar caso tenha de faltar. “Conte com imprevistos, mesmo tendo deixado claro seus limites de horário”, lembra Rosana.

5. Preferir as empresas que permitem trabalhar com home office

Trata-se de uma tendência em setores de serviços. E uma opção para mulheres que valorizam ficar perto da família, cuidando da educação dos filhos, sem a pretensão de ser uma alta executiva. “Marcar presença no escritório é essencial para quem quer chegar a um cargo de presidência ou mesmo de diretoria”, lembra Rosana. Em casa, a qualidade de vida aumenta consideravelmente, pois você evitará o trânsito, ficará um pouco mais isolada das exigências do mercado corporativo… Por outro lado, nem todo mundo se adapta. Há quem sinta falta do contato direto com colegas. De qualquer forma, vale fazer a experiência.

6. Saber viver sob pressão

Não se iluda. Quem não tem interesse em assumir um cargo de liderança fica longe da responsabilidade (e da dor de cabeça) de gerir uma equipe e sai da linha de frente da cobrança por resultados, mas continua sentindo o reflexo das decisões vindas de cima. Ou seja, não ter entre os seus planos ganhar um salário de CEO não vai deixá-la distante da tensão do ambiente corporativo. Tenha paciência, porque precisará aprender a administrar o stress dos seus superiores e dos colegas, que nem sempre terão facilidade para entender o caminho que você escolheu. Rosana aponta uma saída para lidar bem com esse tipo de conflito: “Se você tem um objetivo determinado, como comprar seu apartamento, relaxe e mantenha-o em mente. Com um foco definido, o trabalho fica mais leve e se torna mais fácil enfrentar a pressão”.
 

%d blogueiros gostam disto: