Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Como aumentar a autoestima

Coloque uma lente de aumento nas suas qualidades e se concentre em transformar seus pontos fracos

Por Redação M de Mulher Atualizado em 20 jan 2020, 22h59 - Publicado em 20 Maio 2010, 21h00
Como aumentar a autoestima

Quem se gosta está sempre de bem
com a vida
Foto: Célia Mari Weiss

É fácil identificar uma pessoa que gosta de si mesma: ela é segura em suas ações e acredita em seu potencial. “Quem tem autoestima satisfatória sente-se confortável diante da vida e não se assusta com os desafios de cada etapa”, diz a psicanalista Anna Verônica Mautner. O sentimento de não se sentir demais nem de menos é a marca de quem acumulou boas doses de amor-próprio. A autoconfianca pode ser medida nas realizações pessoais e profissionais. Mas como fortalecer essa proteção emocional?

O primeiro passo, diz a psicóloga Arlene Barmak, é fazer uma retrospectiva e identificar comportamentos e crenças negativas, desde a infância até a fase atual. Esse reconhecimento permite transformar o que não deu certo. “Em vez de pensar ‘sou assim e pronto’, pense ‘estou assim e posso mudar para melhor'”, orienta. Encarar as próprias falhas não significa lidar com elas para sempre. “Coloque uma lente de aumento nas qualidades, enquanto se concentra em transformar seus pontos fracos. Isso resulta em mais força”, garante a psicóloga.

Revista Máxima: O que determina uma boa autoestima?
Arlene Barmak: Em geral, os primeiros 3 anos da criança são fundamentais para que ela desenvolva uma boa autoestima. Quando ela se sente emocionalmente nutrida, acolhida, aceita nas suas fraquezas e reconhecida por seus talentos; a tendência é que desenvolva apreço por si mesma. Essa é a base para que ela naturalmente reconheça suas qualidades e fragilidades de maneira saudável.

Teste: Como vai a sua autoestima?

Revista Máxima: O que diferencia uma pessoa que tem boa autoestima de outra que não tem?
Arlene Barmak: A característica mais forte de quem se gosta é o sentimento de adequação. Ela se sente confortável nas mais diversas situações. Já quem tem baixa autoestima demonstra mais sentimentos como medo, culpa, negatividade, indecisão e inadequação. Também, por insegurança, são pessoas, geralmente, perfeccionistas, que exigem demais dos outros e de si mesmas.

Revista Máxima: Como aumentar o amor próprio?
Arlene Barmak: Uma atitude importante é aceitar-se nas falhas, sem se identificar demais com elas. Em vez de pensar, “sou assim, não tem jeito”, imaginar que está assim no momento, mas pode mudar e melhorar. Quem tem autoestima é “proativo”, não fica esperando as coisas acontecerem. Age, vai atrás, em vez de sempre reagir ao outro.

Revista Máxima: O cuidado consigo mesma reflete isso também?
Arlene Barmak: Sim, a autoestima se revela no nível físico, mental e espiritual. Quem cuida da alimentação, pratica exercícios, gosta de se cuidar e estar bonita, demonstra que tem apreço por si mesma. No emocional e no espiritual são aquelas pessoas que procuram ver sempre o copo cheio, em vez de focar no que não têm, ou no que não podem realizar. Em resumo, quem se gosta está sempre de bem com a vida. 


Continua após a publicidade
Publicidade