Bonito é o maior playground do ecoturismo nacional

Saiba onde ficar, o que comer e o que fazer na cidade do Mato Grosso do Sul

A flutuação é uma das principais atividades em Bonito
Foto: Franco Hoffchneider/GUIA QUATRO RODAS


O maior playground do ecoturismo nacional fica em Bonito, no estado de Mato Grosso do Sul. Em rios de água cristalina e com grandes e coloridos peixes, a sensação de quem se aventura a fazer flutuação, a atividade mais famosa do lugar, é de paz absoluta. O passeio não exige esforço nem habilidade para nadar: é a correnteza que conduz o visitante. Basta usar roupa de mergulho, snorkel e máscara para se divertir nos rios locais.

Debaixo d’água, o cenário é espetacular, assim como na Gruta do Lago Azul, cuja idade estimada beira os 10 milhões de anos, ou no Abismo Anhumas, enorme cratera escondida numa fenda no solo. A infraestrutura para receber os turistas é tão impressionante quanto a paisagem, e mantém a cidade entre os melhores destinos do Brasil.

Onde ficar

Cabanas
Em um terreno de 40 hectares, reúne algumas das principais atrações da cidade – há flutuação (em trecho do Rio Formoso), arvorismo e boia-cross. As  acomodações se dividem entre os quartos, mais simples, e as cabanas, mais charmosas. Tel. 0XX67 3255-3013

Moinho de Vento
A tranquilidade é um dos pontos altos, e os chalés se espalham por uma grande área verde com pomar. Outro é o serviço: o casal de proprietários – ele belga, ela portuguesa – está sempre aqui e prepara o ótimo café da manhã, com pastel de Belém, torta folhada de maçã e salame de chocolate. Tel. 0XX67 3255-1501

Pousada Recanto dos Pássaros
A pousada de quartos simples e bem-conservados tem, na área verde, quadras de tênis e um lago com carpas. De origem japonesa, o casal de donos está sempre cuidando de tudo. Tel. 0XX 67 3255-1048

Onde comer

Cantinho do Peixe
Rua Cel. Pilad Rebuá, 1150 (Centro), 0XX67 3255-3381. Pescados. Na construção simples de madeira, com varanda voltada para a rua de terra, são servidos pratos com peixes regionais: pintado, pacu, dourado e piraputanga. O primeiro, preparado à urucum (filé à dorê com creme de leite e colorau, gratinado com mussarela), é o carro-chefe da casa.

Casa do João
Rua Cel. Nelson Felício dos Santos, 664 (Centro), 0XX67 3255-1212. Pescados. A estrela das mesas é a receita da traíra sem espinha. Outros pratos de peixe reforçam o cardápio, como o filé de pirarara ao molho de alcaparras acompanhado de batata sauté, arroz e salada.

Sale & Pepe
Rua 29 de Maio, 971 (Centro), 0XX67 3255-1822. Variada. A proprietária japonesa focou o cardápio na culinária típica, mas não deixa de servir receitas orientais. Pratos com peixes da região (piraputanga, dourado) dividem popularidade com o yakissoba.

Castellabate
Rua Cel. Pilad Rebuá, 2168 (Centro), 0XX67 3255-1713. Variada. Quando foi inaugurada, a casa justificava seu nome italiano servindo apenas massas e pizzas. Hoje é destino certo para quem procura carnes exóticas como tartaruga, capivara e jacaré.

da Vovó
Rua Sen. Filinto Müller, 570 (Centro), 0XX67 3255-2723. Variada/bufê. Simples, tem mesas de madeira, toalhas coloridas e bufê de receitas caseiras montado sobre fogão a lenha (cobrança por peso).

O que fazer

Os ingressos para a maioria dos passeios são vendidos exclusivamente nas agências de turismo, com preços tabelados. Como o número de visitantes em cada lugar é limitado, monte sua programação dia a dia e não deixe para comprar as entradas na última hora. Entre as principais agências estão a Ar (0XX67 3255-1008) e a Big Tour (0XX67 3255-1353). Muitos dos pacotes incluem almoço, lanche e equipamentos como máscara, snorkel e roupa de neoprene nas flutuações. De todas as atrações, apenas quatro não precisam de reserva, e o ingresso pode ser comprado no local: Balneário Municipal, Balneário do Sol  e Ilha do Padre, na beira do rio, e Praia da Figueira, em uma lagoa.

Cachoeira Boca da Onça
Com 157 m de queda, é a mais alta do estado, acessível por uma trilha de 4 km (3h30) que passa por dez cachoeiras – apenas três são boas para banho. Depois de ver a Boca da Onça (a última do circuito) você volta por uma escadaria de 886 degraus ou caminha 1,2 km até um quiosque de onde parte um carro. No receptivo, há uma ducha natural. Estr. p/ Bodoquena (mun. de Bodoquena), 65 km (35 km de terra).

Cachoeira Parque das Cachoeiras
Cada uma das seis quedas tem um estilo: a primeira, do Amor, é a mais bonita e alta, com 6 m; a segunda, da Figueira, tem pouco volume de água e forma uma prainha boa para crianças; a quarta, da Carretilha, conta com uma tirolesa de cerca de 20 m de extensão, sobre uma grande piscina natural. O percurso total dura cerca de três horas (ida e volta) de caminhada em passarela suspensa de madeira, no meio da vegetação.

Cachoeira Estância Mimosa
O passeio começa antes da visita às cachoeiras: na entrada, chamam a atenção os jacarés Tony e Fubá, que vivem na lagoa. A visita segue até as sete quedas-d’água – três delas são as mesmas do Parque das Cachoeiras. Entre as exclusivas estão a do Desejo, com curiosa formação rochosa, e a do Salto, com plataforma de 6 m para saltos no poço.

Cachoeira do Rio do Peixe
Em uma trilha à beira do Rio Olarias, que deságua no Rio do Peixe, o passeio pode durar até três horas (com paradas para banho). O ponto alto fica no fim da caminhada: você pode saltar de uma altura de 3 m no Poço do Arco-Íris,  trecho inicial do Rio do Peixe, com 4 m de profundidade. O receptivo é dos mais divertidos – o tucano Tuca e a arara Lara estão sempre por ali – e serve 16 tipos de doces após o farto almoço.

Fazenda Ceita-Corê
Você pode chegar por volta das 9h, tomar café da manhã e partir para a trilha de 1,7 km que passa por 11 cachoeiras, com seis paradas para banho. Outras atrações são a visita à nascente do Rio Chapena e as cavalgadas.

Gruta do Lago Azul
Tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), tem um lago de tom azul mágico, quase irreal. A água, na verdade, é cristalina – a cor é fruto da incidência do sol (entre dezembro e o início de janeiro, pela manhã, o azul fica ainda mais intenso). Dentro da gruta, você fica sabendo, depois de descer 294 degraus (irregulares e sem corrimão), que a profundidade do lago é desconhecida – 87 m é o máximo que um mergulhador já alcançou – e que há fósseis de animais pré-históricos (a idade estimada da gruta é de 10 milhões de anos). Estalactites e estalagmites formam desenhos curiosos.

Flutuação no Rio Sucuri
Da trilha de 400 m, que leva à cabeceira do rio, você já tem uma ideia do que irá conhecer de perto. Dois mirantes mostram uma paisagem incrível: a combinação do azul da água com o verde da vegetação faz os lugares parecerem obras de arte. Já com roupa de neoprene, colete, máscara e snorkel, você passa a fazer parte da pintura quando entra na água transparente, de intenso azul, amarelo e vermelho. Piraputangas e curimbás, peixes típicos, também são personagens. A flutuação dura quase uma hora. Há opção de passar o dia na fazenda, que também organiza cavalgadas (5 km, com parada para banho no Rio Formoso) e passeios de bike (mesmo percurso). Estr. p/ São Geraldo (19 km de terra), 0XX67 3255-1030.

Aquário Natural (Reserva Ecológica Baía Bonita)
Ao colocar os pés dentro da nascente que dá origem ao Rio Baía Bonita, a sensação de entrar em um aquário é tão real que chega a contrastar com a liberdade de flutuar em águas cristalinas. O percurso curto (600 m) e o treinamento prévio, em uma piscina, fazem com que este seja o local mais indicado para a sua primeira flutuação em Bonito. O passeio pode ser esticado até a chamada Trilha dos Animais, em que é possível conhecer os bichos que estão em tratamento.

Bonito Aventura
A flutuação por 2,2 km nas corredeiras do Rio Formoso só começa depois de 1,8 km de trilha. Como a profundidade chega a 6 m, é permitido usar nadadeiras (não fornecidas no local) para aumentar a velocidade do passeio. No trajeto há sete cachoeiras, que podem ser acessadas por deques.

Lagoa Misteriosa
Com profundidade desconhecida – 220 m é o máximo que um mergulhador já conseguiu alcançar -, foi reaberta em julho de 2011. É possível flutuar ou mergulhar aqui. Entre abril e outubro, a visibilidade pode chegar a 50 m desde a superfície. BR-267 p/ Porto Murtinho (Faz. Cabeceira do Prata), km 515, a 51 km de Bonito.

Parque Ecológico Rio Formoso
São várias atrações: trilha de 1,3 km até o ponto de início da flutuação no Rio Formoso; passeio de bicicleta (alugada nas agências) até o mirante com vista para a Serra da Bodoquena; e, ainda, cavalgadas e boia-cross. Rod. Bonito-Guia Lopes, km 7, 7 km.

Abismo Anhumas
Descoberta nos anos 70 por um peão de fazenda, a estreita fenda no solo, vista de fora, não dá ideia da magnitude do lugar. Só depois de descer 2 m de rapel é que o coração acelera. Afinal, você está entrando numa gigantesca cratera de 72 m de profundidade, para chegar num lago cristalino. O abismo é a maior caverna submersa do mundo, e o passeio é superexclusivo – apenas dois grupos de oito pessoas são autorizados a descer por dia. O programa completo combina o rapel com mergulho. Estr. p/ Campo dos Índios (Faz. Anhumas), 24 km (19 km de terra). Um dia antes há treinamento na R. Gen. Osório, 681 (Centro), 0XX67 3255-3313. O ingresso deve ser comprado nas agências, que organizam o traslado.

Mergulho
Com cilindro, é realizado no Rio Formoso, a 7 m de profundidade; no Rio da Prata, a 7 m; e no Abismo Anhumas, a 18 m, o único que exige certificado de nível básico. Nos outros casos, crianças a partir de 10 anos podem mergulhar.