A importância da representatividade real no mundo corporativo

Nana Lima, que participará do Pixel Show 2019, discute a importância do feminismo e diversidade como estratégia na publicidade e nas empresas

Por muito tempo, propagandas de TV hipersexualizavam as mulheres e evidenciavam corpos dentro dos padrões – altos, magros, brancos, cabelos lisos. Porém, de alguns anos para cá, essa situação não é mais aceita. Hoje, vemos, cada vez mais, campanhas publicitárias que trazem questões feministas.

Foi dentro deste contexto que surgiu o Think Eva, em 2015, uma consultoria que ajuda marcas e empresas a terem mais representatividade e responsabilidade em seus projetos e no ambiente de trabalho. “Nós trabalhamos para mudar o mundo corporativo”, afirma com convicção Nana Lima, sócia da Think Eva e diretora de projetos da ONG Think OIga, em entrevista a CLAUDIA.

Não perca o que está bombando nas redes sociais

Esse também é o tema central de seu painel na 15ª edição do Pixel Show, o maior festival de criatividade da América Latina. Falando sobre o papel do feminismo na Publicidade, Nana quer mostrar a importância do posicionamento das marcas em questões de gênero para o mercado.

“Eu acho que não dá mais para ficar por cima do muro. As marcas que não tomam um partido acabam tendo uma imagem negativa”, afirma. “Quero mostrar como que elas podem olhar para essas questões como uma oportunidade de inovação”, aponta a diretora.

Representatividade com responsabilidade e inclusão

Lima reitera ainda a importância das marcas não só trabalharem questões de gênero em suas campanhas, mas também trazerem essa representatividade para o ambiente de trabalho.

“Vemos muito do feminismo na estética, ou seja, vemos representatividade, vemos corpos diferentes na TV, mas aquilo só está na representação. Da porta para dentro [nas empresas], não há políticas que acolhem essas pessoas. Precisamos mudar isso”, afirma Nana.

Nana Lima Nana Lima, sócia da Think Eva e diretora de projetos da Think Olga

Nana Lima, sócia da Think Eva e diretora de projetos da Think Olga (Arquivo Pessoal/Reprodução)

Para ela, com a explosão das redes sociais, cada vez mais as empresas são cobradas por uma coerência entre as campanhas publicitárias e a inclusão de uma maior diversidade de funcionários em sua corporação.

“Você não vai surfar nessa onda se você não se responsabilizar”, opina. “Tem algumas marcas que já entenderam isso e outras não, que estão sofrendo boicotes e recebendo críticas por isso. É preciso passar da estética para a ética. Da representação, para a ação efetiva”, finaliza Nana.

Festival Internacional de Criatividade Pixel Show 2019 – 15ª Edição

Local: espaço de eventos Pro Magno (São Paulo). 

Av. Profª. Ida Kolb, 513 – Casa Verde/ SP

Painel com Nana Lima

Quando: 30/11

Horário: às 10h30

Local: na sala Publicidade

Leia também: O desafio da individualidade no mercado de trabalho

+ Empresas investem em empoderamento para desenvolver lideranças femininas

PODCAST – Como consumir menos, de forma consciente e inteligente

%d blogueiros gostam disto: