4 momentos críticos da chegada do bebê

Os primeiros meses com o bebê costumam ser os mais difíceis e cansativos. Mas é possível minimizar os problemas e contornar imprevistos. O segredo é planejamento

Como o marido já voltou a trabalhar, é prudente ter um “motorista” disponível. Combine com uma amiga, a mãe, a irmã, ou mesmo um taxista conhecido
Foto: Getty Images

Não há rotina que resista ao tumulto das primeiras semanas com o pequeno, e a regra de ouro é preparar-se com antecedência. Quem vai auxiliar a mãe enquanto ela cuida do bebê? Onde deixá-lo depois da licença-maternidade? Se a despensa estiver vazia, quem faz as compras? Algumas dessas necessidades parecem banais, mas fazem diferença na hora do sufoco. Entre o nascimento e o fim da licença-maternidade, quatro momentos críticos põem o casal à prova. Prepare-se…

1. Antes do nascimento

· Defina quem vai auxiliá-la nas primeiras semanas: uma babá, a empregada, a mãe ou outra pessoa da família. Escolha alguém de confiança e com quem tenha total liberdade.

· Prepare-se emocionalmente para o fato de que, passados os dez dias de licença-paternidade, o paizão volta ao trabalho e estará menos disponível.

· Cerca de 15 dias antes da data prevista para o parto, programe uma boa compra de supermercado, incluindo pratos e sobremesas congelados para as visitas. Água mineral, papel higiênico e produtos de limpeza também devem ser estocados.

· Na mesma época, chame uma faxineira para dar uma boa geral na casa.

· Se tiver animais de estimação, combine quem irá levá-los para passear, dar banho, limpar e alimentar no primeiro mês após o nascimento do bebê. Também é bom estocar, para esse período, ração, areia para gatos etc.

· Encarregue alguém de confiança dos pagamentos das contas da casa.

· Anote e deixe à mão para uma emergência todos os telefones importantes, como os de obstetra, maternidade, pediatra, táxi etc.

2. Primeiros 15 dias

· Nos primeiros 15 dias, começa a fase de visitas mais frequentes. A mãe já pode fazer caminhadas, e uma ida à padaria ou à rotisseria pode ser bem-vinda.

· É preciso manter algum dinheiro em casa para pequenas compras ou um táxi de emergência.

· Como o marido já voltou a trabalhar, é prudente ter um “motorista” disponível. Combine com uma amiga, a mãe, a irmã, ou mesmo um taxista conhecido.

3. Um mês depois

· Nessa fase, a comida já está acabando, o cachorro quer atenção e ainda aparece uma ou outra visita. Em compensação, você se sente mais disposta e começa a retomar algumas atividades. Como já pode dirigir e o bebê tomou as primeiras vacinas, programe uma agenda semanal com o que precisa resolver.

· Se decidiu que o bebê ficará com uma babá, mas ainda não escolheu uma profissional, corra.

4. Um mês antes da volta ao trabalho

· Quanto mais organizada estiver a rotina da casa, maior tranquilidade você terá para retomar a vida profissional. Se o bebê vai para um berçário, é hora de começar a adaptação. Aproveite as horas vagas e tire o atraso: vá ao cabeleireiro, faça uma massagem, leia e descanse…