Caso raro: brasileiro descobre que dor no calcanhar era causada por cabelo

Caso raro aconteceu com homem de 35 anos, que sofria de uma dor agoniante

Um brasileiro de 35 anos, que não teve o nome identificado, passou por oito horas de uma agoniante dor, que o incomodava ao encaminhar, para descobrir que se tratava de um cabelo.

Ao procurar atendimento num hospital, os médicos examinaram o calcanhar direito do homem e descobriram que uma mecha de cabelo havia penetrado na superfície de sua pele e entrado em contato com um nervo. A condição médica é conhecida como pili migrans cutânea, ou pelos migratórios.

+ A unha de gel que escondeu um câncer

Os médicos acreditam que o paciente “pisou” no cabelo enquanto ele andava descalço, o que fez com que o fio ficasse “embutido”. O fio de 1cm de comprimento foi removido com uma pinça, o que imediatamente aliviou a dor do homem.

O caso, reportado por Fred Bernardes Filho, dermatologista do Departamento de Clínica Médica na Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto, foi publicado no periódico The Journal of Emergency Medicine no dia 20 de junho.
Quando examinado sob um microscópio, descobriu-se que o cabelo estava penetrando na camada mais externa da pele do paciente. Acredita-se que isso tenha estimulado as terminações nervosas na camada mais espessa de pele mais profunda dentro do pé, o que dificultou a caminhada

Quando examinado sob um microscópio, descobriu-se que o cabelo estava penetrando na camada mais externa da pele do paciente. Acredita-se que isso tenha estimulado as terminações nervosas na camada mais espessa de pele mais profunda dentro do pé, o que dificultou a caminhada (Visual Diagnosis in Emergency Medicine/Divulgação)

Caso é raro

Em entrevista ao UOL VivaBem, o médico explicou que o caso é raro, existindo apenas cerca de 20 deles relatados na literatura médica. Até mesmo para o especialista a descoberta foi uma surpresa. “Eu conhecia pili migrans apenas pela literatura. O caso que eu relatei foi o primeiro que eu vi”, relatou ao portal.
O paciente se queixava de dor há 8 horas quando procurou pelos especialistas. “Ele não tinha história de trauma local. Após um exame físico cuidadoso e com auxílio de um dermatoscópio, aparelho com uma fonte de luz que amplia a imagem em 10 vezes, identifiquei um cabelo inserido no calcanhar”, explicou o especialista.
Apesar de rara, a condição médica é totalmente benigna e, segundo o médico, não há reação inflamatória e geralmente é assintomática. Nos casos de pili migrans o pelo não nasce no local; ele pode entrar na pele do pé ao andar descalço sobre fios de cabelos ou na pele da mão ao manipulá-los.