Adolescente cria teste de HIV de baixo custo para ajudar comunidades carentes

O exame, que tem um custo de apenas 5 dólares, revela o diagnóstico em uma hora

É comum (e extremamente normal) que meninas de 15 anos queiram sair com as amigas, ir às aguardadas festas de 15 anos, fazer planos mirabolantes com os meninos do colégio. Mas para a adolescente Nicole Ticea essa fase da vida foi um pouquinho diferente. Ela passou horas e horas estudando no laboratório com um único objetivo: desenvolver um teste de HIV a um baixo custo, que resolvesse o problema das comunidades carentes, que sofrem com a dificuldade de acesso ao exame que, atualmente, tem custo alto.

Nicole criou um teste simples, que funciona como um exame de sangue, daqueles comumente feito por diabéticos, em que se coloca uma gotinha de sangue sobre um chip.O exame detecta o vírus em crianças com menos de 18 meses de idade e em adultos infectados há apenas três meses, a um custo de apenas 5 dólares. Segundo a World Health Organization (Organização Mundial de Saúde), 95% dos infectados são de países em desenvolvimento, o que torna a detecção do vírus à um baixo custo ainda mais urgente e necessária.

“Tive a ideia de desenvolver uma nova técnica de amplificação do ácido nucleico isotérmico adaptado para diagnóstico do HIV, pensando em locais de poucos recursos. Então, desenvolvi uma proposta de projeto e enviei ao maior número de pesquisadores possível; quando se trata de encontrar um mentor, persistência é a chave!”, diz Nicole.

Não à toa, a jovem é vencedora do prêmio na feira de ciências nacional do Canadá, em 2015, e, este ano, ganhou o 2015 Intel Foundation Young Scientist Award, com uma premiação de 50 mil dólares pela inovação e com a possibilidade de extensão para 100 mil, para continuar a pesquisa.

O grande objetivo de vida de Nicole é fazer alguma coisa que possa mudar a vida das pessoas para melhor. E pelo visto ela já conseguiu.