Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

17º dia – Como diminuí meu colesterol em 21 dias – sem remédios

Acompanhe o meu diário e descubra como eu fiz para conquistar uma vida mais saudável. Vida real mesmo, nada de lero-lero!

Por Stephanie Bevilaqua (colaboradora) Atualizado em 28 out 2016, 14h38 - Publicado em 21 out 2015, 15h00

Melhoras por dentro e por fora.

Hoje eu acordei cedo e fui direto para a academia. E pelo cronograma, era a vez do treino de braço. Fizemos todo o programa e eu já não sentia mais as dores de antigamente. Parecia mesmo que eu já estava mais forte! Depois tomei um iogurte com mais proteínas, comi também 5 ameixas secas. Até a hora do almoço bateu uma fominha, e comi um pouquinho daquele “pão sírio” que estava esquecido na minha gaveta. Para quem não sabe, é uma espécie de torrada integral fininha. Bem leve!

Robert Moutran
Robert Moutran

Eu e a Osanita, minha preparadora física.

Com o passar do dia pude refletir o quanto a dieta tem reflexo não só no meu corpo, como em minha mente. Confesso que há três semanas, antes de iniciar o desafio, tive o diagnóstico de depressão. Nada grave, só aquele desânimo que contagia toda a sua vida. Aceitei diminuir meu colesterol porque sabia que seria interessante para o trabalho e para mim, que precisava de novos desafios. Ainda meio em dúvida, aceitei dar o melhor de mim e cumprir essa meta.

Posso confessar para vocês que melhorou 100% a minha rotina. Tem dias que ainda me sinto um pouco chateada, como naquela segunda que não comi direito. Mas foi um caso isolado. Este novo objetivo me motivou a acordar todos os dias e ter algo para me preocupar e fazer acontecer. Afinal de contas, se eu não diminuir meu colesterol, todos esses textos são em vão e a minha saúde continuaria a declinar. Por isso decidi ter pulso firme e obedecer (a maioria das) recomendações que recebi das médicas que me acompanharam.

Recomendo a leitura de um texto muito legal que foi fruto de uma entrevista com o doutor Drauzio Varella. Nela, ele fala sobre o poder da corrida. E uma frase muito forte que eu compreendo muito bem hoje, depois da corrida de ontem é: “A corrida é um antidepressivo poderoso. Traz a sensação de que você é capaz de resolver qualquer coisa”. É exatamente isso! É uma sensação de que eu sou capaz de tudo depois de ter dado mais aquela volta. É como se hoje eu estivesse indestrutível!

Continua após a publicidade

Também sei que nem toda depressão se cura assim, e cada caso é um caso. Estou repassando o que foi bom para mim e que pode ser para você também. Não é a cura de todos os problemas, mas já vale como uma saída de emergência.

O desafio já está chegando ao fim, mas confesso a vocês que as mudanças serão para sempre! Se eu continuar a dieta ou não, não é o essencial. Aqui estou aprendendo a enxergar opções, controlar meu corpo e mente e enxergar novas possibilidades. Até agora as mudanças já foram grandes. Espero que dividindo estes sentimentos com você, eu possa ser uma pontinha de influência para você saber que pode sim mudar a sua vida, sua saúde e sua mente!

E olha só, o iogurte que deu errado ontem se transformou em uma caneca linda de vidro que ganhei da minha tia e uma colher de verdade que trouxe de casa. Coisas simples que com um toque a mais podem ser mais uma conquistas no seu dia! 🙂

Stephanie Bevilaqua
Stephanie Bevilaqua

Amanhã eu continuo. Um beijo grande e cheio de inspiração <3

Para acompanhar como foram os outros dias, acesse aqui. E se quiser, me escreva. 😉

Continua após a publicidade
Publicidade