Tio espanca sobrinha até a morte por não concordar com namoro

Homem já havia sido denunciado pela própria mãe e pela esposa por agressão

Denunciado anteriormente por agressões à própria mãe e à esposa, Washington Manoel Gonçalves de Oliveira, de 27 anos, de Araraquara, interior de São Paulo, foi preso por espancar a sobrinha de 14 anos até a morte. A estudante estudante Hemilly Brenda Gonçalves de Oliveira saiu para um encontro no sábado (10) e, por não concordar com o namoro, Washington a agrediu, informa o Estadão.

Segundo a Policia Civil, a menina morava com os avós. Ao saber do encontro, o tio foi até o local dizendo que o rapaz não só era “muito velho” para ela, como também era traficante de drogas. Segundo o avô da adolescente, Divino Negretti, Washington e Hemilly tiveram uma discussão até ele começar a agredi-la violentamente.

Leia também: Até quando assistiremos a tantos feminicídios?

Divino disse que chegou ao local e encontrou a neta caída, desmaiada. Ele a levou para uma unidade de pronto atendimento e, de lá, ela foi transferida para a emergência da Santa Casa. De acordo com o hospital, a adolescente apresentava traumatismo craniano e passou por cirurgia, mas não conseguiu se recuperar. Hemilly morreu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital domingo (11).

A prefeitura de Araraquara fez uma publicação em seu perfil do Facebook lamentando o ocorrido e fazendo um alerta sobre feminicídio. Leia um trecho: “Ser mulher é um ato quase heróico. Segundo a Organização das Nações Unidas, 70% de todas as mulheres no mundo já sofreram ou irão sofrer algum tipo de violência em algum momento de suas vidas. Muitas irão perder suas vidas.

A violência contra a mulher é resultado das muitas maneiras culturais da sociedade colocar a mulher num lugar de inferioridade, submissão e subserviência. Supondo a autoridade máxima do homem e a subordinação da mulher, resultando numa sociedade permeada por relações de poder e violência contra mulheres e meninas.”