Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Taylor Swift faz apelo por remoção de estátuas “historicamente racistas”

Em um longo texto publicado em seu perfil oficial, a cantora se dirigiu À Comissão Histórica do Tennessee sobre dois monumentos

Por Da Redação - Atualizado em 15 jun 2020, 16h18 - Publicado em 14 jun 2020, 18h00

Taylor Swift é uma das celebridades que têm se mostrado ativa na defesa do movimento Black Lives Matter, que protesta contra a desigualdade racial no mundo. No Instagram, a cantora está desafiando o estado onde viveu por muitos anos, o Tennessee, a remover todas as estátuas públicas de “figuras históricas racistas” e “supremacistas brancas”.

Em uma publicação feita em seu perfil oficial, a cantora se dirigiu À Comissão Histórica do Tennessee em um longo texto pedindo que as organizações “considerem as implicações de quão doloroso seria continuar lutando por esses monumentos”. Na mensagem, Taylor pontuou que “quando você luta para honrar os racistas, mostra aos tennessianos negros e a todos os seus aliados seu posicionamento e continua esse ciclo de mágoa”. “Você não pode mudar a história, mas pode mudar isso”, escreveu ainda a norte-americana.

Os monumentos citados pela artista de 30 anos são dois. Uma estátua representa Edward Carmack, “editor de jornal supremacista branco”, como ela própria descreve. A outra seria de Nathan Bedford Forrest, fundador e o primeiro grande líder do Ku Klux Klan, movimento fundado em Pulaski, no Tennessee, em 1865, após o final da Guerra de Secessão. “Precisamos alterar retroativamente o status das pessoas que perpetuaram os padrões hediondos de racismo de ‘heróis’ para ‘vilões'”, continuou ela, acrescentando: “E os vilões não merecem estátuas”.

View this post on Instagram

I’m asking the Capitol Commission and the Tennessee Historical Commission to please consider the implications of how hurtful it would be to continue fighting for these monuments. When you fight to honor racists, you show black Tennesseans and all of their allies where you stand, and you continue this cycle of hurt. You can’t change history, but you can change this. 🙏

A post shared by Taylor Swift (@taylorswift) on

Continua após a publicidade

A fala de Taylor se refere aos recentes protestos que aconteceram nos Estados Unidos e no Reino Unido, em que manifestantes derrubaram estátuas de figuras históricas controversas ao longo do mês de junho, mais recentemente em Boston, onde uma figura de Cristóvão Colombo foi decapitada.

Durante as manifestações, Sadiq Khan, prefeito de Londres, afirmou que vai retirar estátuas de escravagistas. Para levantar todas as informações necessárias, o político explicou que o trabalho será feito por uma comissão, responsável também por analisar nomes de ruas e edifícios. Assim, na próxima etapa, os mesmos poderão decidir quais personalidades realmente merecem ser homenageadas.

Seguindo o exemplo de Khan, Ralph Northam, governador do estado da Virgínia, nos Estados Unidos, anunciou que a estátua do oficial militar Robert E. Lee, depredada por manifestantes na semana passada, será retirada de vez. No Alabama, outro escravagista, o almirante confederado Raphael Semmes, também teve sua estátua removida.

Crítica a Donald Trump

Durante a onda de manifestações, no final de maio, Taylor Swift criticou o presidente norte-americano, Donald Trump, por ter ameaçado usar a força para conter os protestos em Minneapolis por causa da morte de George Floyd por um policial branco.

“Após inflamar a supremacia branca e o racismo durante todo o seu governo, você tem a coragem de fingir superioridade moral antes de ameaçar com violência?”, questionou a cantora em seu Twitter.

O que você precisa saber sobre gravidez em tempos de pandemia

Continua após a publicidade
Publicidade