“Quando mudamos por dentro, mudamos também o mundo”

Estamos em uma época de evolução do planeta, que implica limpeza total. Repare: se antigamente mentiras permaneciam encobertas por décadas, agora as verdades vêm rapidamente à tona e erros são revelados. Isso acontece tanto na esfera privada como na pública – o assunto do momento é corrupção em todos os países, em diferentes graus e sentidos. Então, que tal seguir essa vibração e fazer a sua parte?

A tradição védica nos ensina que todo momento é como deve ser: nem melhor, nem pior. Cada época tem suas características, desafios e esperanças. Os vedas também nos mostram que precisamos eliminar a vitimização do nosso padrão de comportamento e permitir que os deuses e deusas que habitam nosso coração desabrochem. Quando nos deparamos com o que acreditamos ser um problema, não devemos lamentar e nos fazer de vítimas, mas aproveitar a situação como possibilidade de crescimento. Pergunte-se: “O que eu tenho para aprender com esse obstáculo?”

As manchetes estão focando no desvio de enormes somas de dinheiro, egoísmo e desejo de poder. Mas e você? Já parou para pensar nos seus atos? Já se conscientizou dos diversos tipos de falcatruas e deslizes que cometemos sem nos dar conta? Somos todos corruptos quando furamos a fila, quando não respeitamos os direitos alheios e por aí vai.

A palavra retidão nos ensina a agir de acordo com os padrões éticos que nos foram transmitidos durante a vida. Mas, em um sentido mais profundo, significa traçar uma linha reta entre pensamento, palavra e ação – imagine uma flecha que sai do arco em uma linha reta até atingir o alvo. O que é, então, falta de retidão? É quando pensamos uma coisa e dizemos ou fazemos outra. E isso é tão comum! Engatados no piloto automático, repetimos esse padrão de comportamento sem refletir acerca de nossas atitudes e de quanto erramos. Para agir com retidão, precisamos eliminar esse intervalo entre pensamento e ação. Lembre-se: nossas ações devem estar em concordância com nossos pensamentos e emoções. Quando quebramos essa linha reta, nos desintegramos como seres humanos e geramos conflitos de valores em nossa mente. A consequência: culpa, ansiedade, agitação e frustração.

Temos que unir nosso eu que pensa ao que age. A observação da retidão nos traz paz e contentamento por estarmos alinhados a um bem maior. É hora de criar um novo paradigma em nossa vida, de aproveitar tudo de ruim que está acontecendo no mundo lá fora para rever nossas atitudes interiores. Quando mudamos por dentro, mudamos também o mundo. Afinal, ele é o espelho de nosso interior. Ao agir dentro da retidão, projetamos pensamentos e emoções que vão preencher as partículas de luz que permeiam o Universo com esse conteúdo do bem. E, quando um número expressivo de pessoas estiver agindo dentro da mais absoluta retidão, formaremos uma massa crítica poderosa que poderá, sim, mudar o planeta. Quer fazer parte dela? O Universo agradece!