Polícia investiga se irmãos foram dopados ou agredidos antes de incêndio

Kauã e Joaquim, 6 e 3 anos, respectivamente, morreram após o quarto em que dormiam pegar fogo

Os corpos dos irmãos Kauã e Joaquim vão ser periciados para saber se os meninos de 6 e 3 anos, respectivamente, foram dopados ou agredidos antes do incêndio que resultou em suas morte.

De acordo com informações do G1, a polícia civil realiza exames de DNA para identificar os corpos e em paralelo tenta descobrir se os irmãos foram dopados ou agredidos. O resultado do primeiro exame está previsto para sair em nove dias; o segundo demorará um pouco mais por ser mais minucioso.

No dia 21 de abril deste ano, o quarto em que Kauã e Joaquim dormiam na casa da família em Linhares (ES), pegou fogo e os meninos morreram carbonizados. O cômodo foi o único local da residência atingido pelas chamas.

Na última sexta-feira (27), o pai de Joaquim e pai de Kauã  George Alves foi detido. De acordo com a polícia, o pastor atrapalhava as investigações e planejava deixar Linhares. “Escutei os choros, a gritaria, eles gritando ‘pai, pai’. Pus a mão na cama e queimei as mãos, mas não consegui pegar”, disse George.

A mãe dos meninos, Juliana Salles, afirmou estar muito abalada com a morte dos filhos e que esperava a prisão do marido por conta da linha de investigação da polícia. Contudo, ela não desconfia que o esposo seja culpado.

Leia mais: Menina de 11 anos fez falsa comunicação de crime de estupro, diz polícia