Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

“Perdi minha mãe e vejo Meghan sendo vítima das mesmas forças”, diz Harry

Em declaração, Harry fez duras críticas à imprensa britânica

Por Da Redação - Atualizado em 17 fev 2020, 12h58 - Publicado em 1 out 2019, 17h28

Em tour pelo continente africano, príncipe Harry divulgou uma carta emocionante dizendo que Meghan Markle estaria sofrendo a mesma pressão da imprensa britânica que a princesa Diana – que morreu, em 1997, em um acidente de carro, quando tentava escapar de vários paparazzi.

Não perca o que está bombando nas redes sociais

Reprodução/Instagram

Na declaração, Harry afirma que teme que o sofrimento de Lady Di se repita. “Meu maior medo é ver a história se repetindo. Eu já vi o que acontece quando alguém que amo é tão explorado como produto ao ponto de não ser tratado ou visto como uma pessoa de verdade. Eu perdi minha mãe e agora vejo minha esposa sendo vítima das mesmas poderosas forças”, escreveu ele.

O príncipe refere-se ao caso em que cartas pessoais de Meghan escritas para o pai dela foram vazadas pela imprensa. Segundo Harry, essas atitudes fazem parte de uma “escalada cruel” que existe desde que os duques começaram a namorar, mas que piorou ao longo dos anos. Mas agora “chegou a um ponto onde a única coisa a fazer é me posicionar em relação a este comportamento, porque ele destrói pessoas e destrói vidas”, completou o duque de Sussex.

The Sun/Reprodução

Leia a carta de Harry na íntegra (tradução livre)

Com casal, acreditamos na liberdade de imprensa e em reportagens verdadeiras. Consideramos isso uma pedra angular da democracia e, no estado atual do mundo – em todos os níveis – nunca precisamos tanto de uma mídia responsável.Infelizmente, minha esposa se tornou a vítima mais recente de um tabloide britânico que realiza campanhas contra indivíduos sem pensar nas consequências – uma campanha cruel que se intensificou ao longo do ano passado, durante a gravidez e ao criar nosso filho recém-nascido.

Existe um custo humano para essa propaganda implacável, especificamente quando ela é conscientemente falsa e maliciosa, e, embora continuemos corajosos – como muitos de vocês podem se identificar -, não posso começar a descrever o quão doloroso tem sido. Porque na era digital de hoje, as produções da imprensa são reproduzidas como verdade em todo o mundo.

Até o momento, não conseguimos corrigir as mentiras contínuas – algo que esses meios de comunicação selecionados conheciam e, portanto, exploravam diariamente e às vezes a cada hora.

Continua após a publicidade

É por esse motivo que estamos entrando com uma ação legal, um processo que já dura há muitos meses. A cobertura positiva da semana passada dessas mesmas publicações expõe os padrões duplos deste pacote de imprensa específico que a difamava quase diariamente nos últimos nove meses; eles foram capazes de criar mentiras após mentiras às suas custas, simplesmente porque ela não era visível durante a licença de maternidade. Ela é a mesma mulher que era há um ano no dia do nosso casamento, assim como ela é a mesma mulher que você viu nesta turnê pela África.

Para este grupo midiático, isto é um jogo, e um que não estávamos dispostos a jogar desde o início. Eu tenho sido uma testemunha silenciosa ao sofrimento privado dela por muito tempo. Afastar-me e não fazer nada seria contrariar tudo aquilo que acreditamos.

Essa ação legal específica vem de um incidente com um longo e perturbador padrão de comportamento dos tabloides britânicos. O conteúdo de uma carta privada foi publicado de maneira ilegal de uma forma intencionalmente destrutiva para manipular você, leitor. Além da publicação ilegal deste documento particular, eles propositalmente o enganaram ao omitir estrategicamente parágrafos selecionados, frases específicas e até determinadas palavras para mascarar mentiras que eles perpetuaram por mais de um ano.

Chega um ponto em que a única coisa a fazer é enfrentar esse comportamento, porque ele destrói as pessoas e destrói vidas. Simplificando, é bullying, que assusta e silencia as pessoas. Todos sabemos que isso não é aceitável, em nenhum nível. Não acreditamos e não podemos acreditar em um mundo onde não há responsabilidade por isso.

Embora esta ação não seja a mais segura, é a coisa certa a se fazer. Porque meu medo mais profundo é a história se repetindo. Vi o que acontece quando alguém que eu amo é tão explorado como produto a ponto de não ser mais tratado ou visto como uma pessoa real. Perdi minha mãe e agora vejo minha esposa sendo vítima das mesmas forças poderosas.

Agradecemos ao público por seu apoio contínuo. É extremamente apreciado. Embora possa não parecer, realmente precisamos.

PODCAST – Como ter mais orgasmos: o caminho para uma vida sexual satisfatória

Continua após a publicidade
Publicidade