Padre é suspenso de basílica suspeito de abusar de garotos

O bispo da Diocese teria conhecimento dos abusos

O padre Pedro Leandro Ricardo, reitor da Basílica de Santo Antônio, em Americana, no interior de São Paulo, foi suspenso de suas funções sob suspeita de assédio sexual de rapazes menores de idade, revelou o jornal Folha de S.Paulo. 

O afastamento faz parte de uma investigação do Ministério Público de São Paulo que investiga ainda o dom Vilson Dias de Oliveira, bispo da Diocese de Limeira. O bispo publicou decreto afastando o padre Leandro no último domingo (27).

A reportagem da Folha encontrou quatro pessoas entre supostas vítimas e seus parentes. Segundo a reportagem, cinco garotos teriam sido abusados pelo padre, inclusive em casos consentidos.

O bispo Vilson é suspeito de acobertar a ação do clérigo e pesam ainda questionamentos acerca de seu patrimônio. Ambos negam as acusações.

O pai de um dos garotos, hoje com 17 anos, diz que o padre dava abraços apertados e fazia carícias indevidas no filho. O rapaz começou a ajudar nas missas em 2015.

Ainda segundo o pai, o garoto ficou traumatizado e teve depressão. A família chegou a trancar um cômodo da casa onde guardava agrotóxicos para o orquidário com medo do rapaz se matar.

Outro homem, de 34 anos, diz que quando era adolescente o padre Leandro ‘passava a mão’ em seu corpo e fazia piadas incoerentes.

Uma mulher chegou a escrever uma carta com firma reconhecida em 2013 acusando o clérigo. Ela diz que foi procurada por uma mãe cujo filho de 14 anos à época saiu de casa para ser ‘namorado do padre Leandro’. De acordo com a mulher, o Dom Vilson sabia da situação, mas não fez nada sobre o assunto.

O advogado da Diocese de Limeira, Virgílio Ribeiro, diz que as acusações são falsas. “O bispo de Limeira jamais pactuou ou pactuaria com qualquer ato que confronta as leis que regem a Igreja”, disse à Folha.