“Não pensem em apocalipse”, diz Obama às filhas após Trump eleito

O presidente Barack Obama contou como conversou com as filhas sobre os episódios de intolerância que começaram com a vitória de Donald Trump

Logo após a vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas, muitas famílias que reprovam o discurso intolerante do futuro presidente ficaram preocupadas em como conversariam sobre a derrota com os filhos. O presidente Barack Obama tocou na questão com as filhas Sasha, 15 anos, e Malia, 18 anos. “Você não pode ficar em posição fetal sobre isso. Você não pode começar a se preocupar com um apocalipse. Você precisa dizer ‘está tudo bem, há lugares que posso empurrar para continuarmos seguindo em frente'”, contou ele à The New Yorker sobre a conversa que teve com as meninas.

Leia também: 7 vezes em que Barack Obama foi um pai incrível

Na entrevista, Obama detalhou o que disse à sua família a respeito de episódios de intolerância racial que ocorreram imediatamente após a eleição de Trump: “Eu disse a elas que pessoas são complicadas. Sociedades e culturas são realmente complicadas. Isso não é matemática; é biologia e química. São organismos vivos, e isso é uma bagunça. O seu dever como cidadão e um ser humano decente é constantemente lutar para as pessoas serem tratadas com delicadeza, respeito e compreensão. Você deve antecipar que, a qualquer momento, podem haver surtos de intolerância que você pode ter que enfrentar, ou que podem estar dentro de você e terá que vencê-los”.

Leia também: 3 vitórias das mulheres e da diversidade nas eleições dos EUA.