Museu de SP é acusado de incitação à pedofilia

Durante performance, menina encosta em homem nu e gera revolta de internautas; MAM afirma que ato não diz respeito a conteúdo erótico

A performance La Bête, atração que abriu o 35º Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), está sendo acusada de incitação à pedofilia por internautas nas redes sociais do museu.

A polêmica começou após vídeos e fotos da apresentação viralizarem pela internet. O motivo das reclamações dos internautas se deve a um ato em que uma criança, que estava entre os espectadores, interagiu com o coreógrafo carioca Wagner Schwartz.

Durante a performance, Wagner se mantém nu o tempo todo e a proposta é que seu corpo seja manipulado pelo público. Por esse motivo, a menina tocou na perna do artista.

Leia mais: Uma criança é estuprada na escola a cada cinco dias, no Rio

Em nota divulgada em sua página oficial no Facebook, o MAM alerta que “o trabalho não tem conteúdo erótico e trata-se de uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, artista historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas.”