Mulher é morta por ex-companheiro com fio de celular

Corpo da vítima foi encontrado em ribanceira na zona rural

Uma mulher de 28 anos foi estrangulada pelo seu ex-companheiro com um fio de carregador de celular no município de Herval D’Oeste, em Santa Catarina, na sexta-feira (4). Segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP), além de ter usado o fio, Nestor da Silva, 40 anos, estrangulou a vítima  Lucineia de Oliveira com as mãos.

De acordo com informações da Polícia Civil, o crime aconteceu por volta das 16h, quando Lucineia teria brigado com Nelson na casa da mulher com a qual ele mantinha uma relação.

Segundo a polícia, o ex-companheiro da mulher a estrangulou e enrolou seu corpo em um lençol. Depois, escondeu o corpo debaixo de uma cama em um dos quartos da residência. Então, o suspeito e a dona da casa saíram do local. Na sexta, o homem recolheu o corpo e o descartou em uma ribanceira.

Na segunda-feira (7), a Polícia Civil foi notificada do desaparecimento de Lucineia e abriu uma investigação à procura da mulher.

O crime foi descoberto pela polícia apenas nesta terça-feira (8), quando Nelson confessou o crime. O delegado responsável pelo caso, André Cembranelli, afirmou que o corpo da vítima foi encontrado em uma ribanceira na zona rural,  local que foi indicado pelo ex-companheiro.

 (Polícia Civil/Divulgação)

 (Polícia Civil/Divulgação)

Nelson foi preso em flagrante por ocultação de cadáver e foi encaminhado para o Presídio Regional de Joaçaba, devido a um mandado da Justiça de prisão preventiva por homicídio. “A testemunha que presenciou o crime prestou depoimento e fomos até a casa dela com o Instituto Geral de Perícia. Com o luminol [substância utilizada para detectar vestígios de sangue], verificamos a presença de sangue, principalmente embaixo da cama”, comentou o delegado Cembranelli.

De acordo com a Polícia Civil, Lucineia já tinha  boletins de ocorrência registrados contra o seu ex-companheiro, alegando violência doméstica, e chegou a emitir uma medida protetiva. 

O ex-casal tem dois filhos, segundo informações da polícia do município. 

Veja também: Caso Marielle: testemunha relaciona vereador carioca e miliciano ao crime

São Paulo abrirá o Morumbi para receber mulheres vítimas de violência

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s