CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Mulher é morta por ex-companheiro com fio de celular

Corpo da vítima foi encontrado em ribanceira na zona rural

Por Da Redação 10 Maio 2018, 01h12

Uma mulher de 28 anos foi estrangulada pelo seu ex-companheiro com um fio de carregador de celular no município de Herval D’Oeste, em Santa Catarina, na sexta-feira (4). Segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP), além de ter usado o fio, Nestor da Silva, 40 anos, estrangulou a vítima  Lucineia de Oliveira com as mãos.

De acordo com informações da Polícia Civil, o crime aconteceu por volta das 16h, quando Lucineia teria brigado com Nelson na casa da mulher com a qual ele mantinha uma relação.

Segundo a polícia, o ex-companheiro da mulher a estrangulou e enrolou seu corpo em um lençol. Depois, escondeu o corpo debaixo de uma cama em um dos quartos da residência. Então, o suspeito e a dona da casa saíram do local. Na sexta, o homem recolheu o corpo e o descartou em uma ribanceira.

Na segunda-feira (7), a Polícia Civil foi notificada do desaparecimento de Lucineia e abriu uma investigação à procura da mulher.

O crime foi descoberto pela polícia apenas nesta terça-feira (8), quando Nelson confessou o crime. O delegado responsável pelo caso, André Cembranelli, afirmou que o corpo da vítima foi encontrado em uma ribanceira na zona rural,  local que foi indicado pelo ex-companheiro.

Polícia Civil/Divulgação
Continua após a publicidade

Polícia Civil/Divulgação

Nelson foi preso em flagrante por ocultação de cadáver e foi encaminhado para o Presídio Regional de Joaçaba, devido a um mandado da Justiça de prisão preventiva por homicídio. “A testemunha que presenciou o crime prestou depoimento e fomos até a casa dela com o Instituto Geral de Perícia. Com o luminol [substância utilizada para detectar vestígios de sangue], verificamos a presença de sangue, principalmente embaixo da cama”, comentou o delegado Cembranelli.

De acordo com a Polícia Civil, Lucineia já tinha  boletins de ocorrência registrados contra o seu ex-companheiro, alegando violência doméstica, e chegou a emitir uma medida protetiva. 

O ex-casal tem dois filhos, segundo informações da polícia do município. 

Veja também: Caso Marielle: testemunha relaciona vereador carioca e miliciano ao crime

São Paulo abrirá o Morumbi para receber mulheres vítimas de violência

Continua após a publicidade

Publicidade