Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Mulher é condenada à prisão perpétua por matar as duas filhas

Ela ainda tentou assassinar o marido, mas uma falha da arma a impediu; inicialmente, ela receberia pena de morte

Por Da Redação - Atualizado em 18 jul 2019, 15h08 - Publicado em 18 jul 2019, 15h04

Uma mulher foi sentenciada à prisão perpétua após matar as duas filhas em 2 de novembro de 2017, no Texas. Sarah Henderson, de 31 anos, atingiu Kaylee, 7 anos, e Kenlie, 5, com tiros na cabeça. O crime ocorreu dentro da casa onde viviam em Maybank.

A princípio, Sarah receberia pena de morte, mas o Estado decidiu dispensar esse tipo de condenação. Ela não terá chance de recorrer  à liberdade condicional.

VEJA os assuntos  que mais estão bombando nas redes sociais

Segundo os relatórios da polícia, por volta das 23h30 do dia 1º, o serviço de atendimento policial recebeu um telefonema de Jacob, marido de Sarah, no qual ele alegava que a esposa estava apresentando comportamento suicida.

Mulher mata as próprias filhas
Reprodução/Reprodução

Pouco depois, uma segunda ligação foi feita, cancelando o chamado anterior. Ainda assim, a equipe policial foi até a residência para fazer uma checagem de segurança. Eles chegaram às 23h45 e foram embora após o casal afirmar que não havia problemas e ninguém estava em perigo.

Contudo, horas mais tarde, o serviço de emergência recebeu uma chamada desesperada de Jacob relatando que suas enteadas estavam mortas. Ao fundo, era possível ouvir Sarah dizer “O que eu fiz, Senhor? O que eu fiz? O que eu fiz? O que eu fiz, Deus?”.

Uma gravação divulgada pelo gabinete do delegado mostra Jacob chorando e questionando as ações da esposa. “Ela estava dormindo quando fui pra cama na noite passada. Quando acordei, ela veio e disse ‘Querido, eu atirei nas crianças’. Eu não queria acreditar, mas quando fui lá, elas estavam mortas.”

Meninas mortas pela mãe
Reprodução/Reprodução

Na época, o xerife Botie Hillhouse disse que Sarah não mostrou remorso ao confessar os crimes. De acordo com ele, a mulher teria planejado os assassinados durante semanas e estava tentando matar toda a família.

Continua após a publicidade

Ela teria tentado atirar em Jacob enquanto ele dormia, contado a pistola de calibre .380 falhou. Foi quando ele acordou, tirou a arma das mãos dela e ligou para a polícia.

Após se divorciar de Sarah, Jacob participou de uma audiência no tribunal do condado de Henderson. Durante o julgamento, Sarah tentou declarar insanidade, mas a alegação não foi comprovada. Exames toxicológicos mostraram que ela não estava sob influência de álcool ou drogas durante o crime.

Mulher mata as próprias filhas
Reprodução/Reprodução

Quando questionada pelos investigadores, ela disse que matou as filhas porque “estava enlouquecendo” e que haviam pessoas tentando pegá-la. O comportamento paranoico na véspera das mortes foi confirmado por Jacob e uma amiga de Sarah.

Teresa Brown, mãe de Sarah, contou ao canal de TV NBC 5 que a filha sofria de transtorno bipolar e havia tentado buscar ajuda com amigos. “Eu sei que o que a minha filha fez foi errado, mas algo deve ter ‘quebrado’ nela, porque ela amava as crianças. Estou devastada. A família toda está. Estamos como zumbis. É inacreditável.”

No Texas, matar uma criança com menos de 10 anos é automaticamente considerado um crime capital. Sarah foi acusada e julgada por dois assassinatos capitais e uma tentativa de homicídio contra o marido.

Meninas mortas pela mãe
Reprodução/Reprodução

Leia também: Pai mata filha acidentalmente ao acertá-la com bola de golfe

+ Para salvar mãe, crianças fogem de casa com a arma do pai

Síndrome de burnout – Izabella Camargo conta a sua história no podcast Senta Lá, CLAUDIA

Continua após a publicidade
Publicidade