Juiz Sergio Moro é eleito um dos 100 mais influentes do mundo pela revista Time

Conhecido por sua atuação na Operação Lava-Jato, magistrado é o único brasileiro na lista

Único brasileiro relacionado na lista das cem pessoas mais influentes do mundo, o juiz federal Sergio Moro foi homenageado no evento da revista Time, em Nova York, na noite de terça-feira (26).

Na listagem de 2016, divulgada na semana passada, ele aparece ao lado de nomes como o do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, do CEO da Apple, Tim Cook, e da chanceler alemã, Angela Merkel, eleita “Pessoa do Ano” pela mesma revista no ano passado.

Durante a cerimônia, acompanhado de sua mulher, a advogada Rosângela Moro, o magistrado declarou ao Jornal Nacional, da TV Globo, que seu nome na lista “é o reconhecimento também que o Brasil toma passos importantes na prevenção e no combate à corrupção”. 

A publicação escreve que ele é idolatrado no Brasil a ponto de ter seu nome gritado nas ruas como “um jogador de futebol”. Além disso, Moro é descrito como sendo “apenas um juiz, mas de um processo envolvendo um escândalo de corrupção tão grande que pode derrubar um presidente e talvez mudar a cultura de corrupção que há muito tem prejudicado o progresso de seu país”.

Sérgio Moro passou a ser nacionalmente reconhecido com o início na Operação Lava-Jato em março de 2014. Desde então, diversas investigações vêm sendo feitas em relação a esquemas de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo políticos, grandes empreiteiras e a Petrobras. Moro é responsável pelas ações penais nos casos que não envolvem políticos – estes são investigados pelo Supremo Tribunal Federal por terem foro privilegiado.

Nas últimas edições, outros brasileiros também foram relacionados na tradicional lista. O empresário Jorge Paulo Lemann e o surfista Gabriel Medina em 2015; o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa e o chef de cozinha Alex Atala em 2013; o empresário Eike Batista e a então presidente da Petrobras Maria das Graças Foster em 2012; a presidente Dilma Rousseff em 2012 e 2011; e o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010.