Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Jovem filma momento em que sofre importunação sexual dentro de ônibus

Apesar de expor o ocorrido para os outros passageiros, a vendedora não recebeu nenhum apoio das pessoas que estavam no veículo

Por Da Redação Atualizado em 5 nov 2020, 17h48 - Publicado em 5 nov 2020, 18h00

Uma mulher de 21 anos foi sexualmente importunada dentro de um ônibus, enquanto ia para o trabalho, e conseguiu filmar a situação. O caso aconteceu na última quarta-feira (4), no trajeto para Praia Grande, litoral paulista, onde Ingrid Silva Calomino trabalha como vendedora.

Segundo informações do G1, a jovem estava sentada na penúltima fileira do veículo quando sentiu que alguém tocava seus cabelos. Apesar de outras pessoas estarem no ônibus, atrás dela havia apenas um idoso. “Não acreditei que isso estava acontecendo. Coloquei o cabelo para frente e fiquei esperta”, relatou Ingrid.

Não demorou para que ele voltasse a tocá-la, desta vez nas costas. “Ele colocou a mão na lateral do meu corpo, mas veio para frente e começou a tocar meu seio”. Nervosa, a jovem começou a gravar a situação com o celular.

As imagens mostram o homem recuando ao perceber que estava sendo filmado. Ingrid então se levantou e começou a brigar com ele, mas não recebeu nenhum apoio dos outros passageiros. “Falei que ele era um assediador, que tinha gravado. Ele começou a dizer que só estava apoiando a mão dele. Mas encostou no meu seio”.

Continua após a publicidade

Em seguida, ela desceu do ônibus e foi apressada e aos prantos para o local de trabalho, onde recebeu ajuda. “Me senti um nada. Como uma pessoa que eu nem conheço toca em mim dessa forma? Fiquei insegura e nervosa. Foi um terror”.

O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher de Praia Grande e tipificado a partir da Lei de Importunação Sexual. Sancionada há dois anos, a lei foi criada para preencher a lacuna legislativa que dificultava a punição de crimes que não eram considerados estupro ou assédio sexual.

Ela torna crime a prática de atos libidinosos como toques inapropriados, beijos forçados, cantadas invasivas e ejaculação na presença de alguém sem o consentimento desta pessoa. Segundo dados do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) e da Think Olga, 97% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de importunação sexual.

O vídeo gravado por Ingrid será entregue à Polícia Civil e deve auxiliar na identificação do suspeito. Caso seja condenado, ele pode pegar de 1 a 5 anos de prisão.

  • O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

    Continua após a publicidade
    Publicidade