Iniciativas contra o assédio durante o Carnaval se espalham pelo país

Ainda que seja tempo de folia, mulheres lutam contra a violência

Durante o Carnaval, enquanto muita gente se preocupa com as fantasias, mulheres de várias faixas etárias estão preocupadas com a própria segurança. Pensando nisso, diversas iniciativas contra o assédio na folia foram criadas.

Uma delas é a #AconteceuNoCarnaval. A iniciativa pretende atuar em Recife, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, João Pessoa, Campina Grande e Ouro Preto.

Com o apoio de quatro organizações sociais, Rede Meu RecifeMete a Colher, Women Friendly e Minha Sampa, o grupo vai distribuir “fitinhas da sororidade”. O intuito é identificar as mulheres que estão dispostas a ajudar em situações de abuso e violência.

Leia mais: O drama do pai que tem que escolher qual filha deixa viver

E, mesmo quando a festa acabar, o trabalho seguirá. A campanha pretende contabilizar diversos relatos para mapear casos de assédio e elaborar um relatório, que será enviado para o poder público.

O coletivo Não É Não! pretende discutir os temas de assédio e combater a cultura da violência através da distribuição das famosas tatuagens temporárias. É na capital baiana, onde uma mulher é violentada a cada 56 minutos, que a distribuição de 5 mil tatuagens foi financiada coletivamente.

Leia mais: O discreto (e lindo) vestido de gestante de Meghan que esgotou em 3 dias

Também na Bahia, o coletivo Respeita as Mina, ativo desde 2017, procura enfrentar a violência contra as mulheres. É uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia (SPM-BA).

No Distrito Federal, a campanha Folia com Respeito tem o objetivo de garantir a segurança dos foliões. Tanto os representantes do poder público quanto os dos bloquinhos assinaram uma carta-compromisso que continha uma lista com as tarefas a serem cumpridas durante o Carnaval.

Este ano, a campanha irá distribuir panfletos e adesivos em bloquinhos, além de trazer, novamente, um trio-elétrico sem cordas. A ideia é empoderar os públicos-alvo da campanha, mostrando, em vídeos, que se divertir respeitando a diversão alheia é o ideal em dias de festa.

Veja mais: Tênis com vestido é combinação que vai bombar em 2019; veja como usar

Siga CLAUDIA no Instagram

Veja também