Clique e assine com até 75% de desconto

Fotógrafo retrata vida das mulheres durante e após a guerra

As fotografias exploram temas de luta pessoal e os impactos da guerra na vida das mulheres

Por Gabriela Malta (colaboradora) Atualizado em 28 out 2016, 16h22 - Publicado em 15 fev 2016, 16h10

Em 2001, o premiado fotógrafo Nick Danziger fotografou o sofrimento e desamparo de vítimas de estupro, viúvas, refugiadas e prisioneiras que viviam em zonas de guerra pelo mundo. 

Cedida ao Daily Mail por Nick Danzige
Cedida ao Daily Mail por Nick Danzige

As fotos faziam parte de um estudo do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que focava nas necessidades das mulheres durante conflitos armados. 

O projeto levou o fotógrafo britânico ao Afeganistão, Serra Leoa, Colômbia, Bosnia-Herzegovina, Kosovo, Israel e Palestina. Sua câmera fotografou os desafios enfrentados por 11 mulheres inspiradoras.

Cedida ao Daily Mail por Nick Danzige
Cedida ao Daily Mail por Nick Danzige

Mais de uma década depois, Danziger decidiu procurar por aquelas que tinham as histórias mais angustiantes, para saber como a vida delas tinha mudado ao longo dos anos. 

Continua após a publicidade

As fotografias e os vídeos que ele fez agora formam a base de sua nova exposição, Eleven Women Facing War (Onze Mulheres enfrentando a guerra), atualmente exibida no War Museum, em Londres. 

 

Cedida ao Daily Mail por Nick Danziger
Cedida ao Daily Mail por Nick Danziger

Explorando temas de luta pessoal e os impactos da guerra na vida das mulheres, as fotografias mostram, na maioria dos casos, como o cotidiano é diferente para as mulheres. Para algumas delas a situação quase não mudou. Outras tiveram a vida completamente transformada. 

É o caso de Sarah, que foi fotografada em Serra Leoa, em 2001. Seu noivo foi capturado e morto durante a guerra. Quando ela voltava para seu vilarejo natal, foi atacada por um homem armado e estuprada. Ela foi sequestrada por ele, e forçada a viajar pelas florestas con ele. Ao contar a ele que estava grávida, foi abandonada e passou a viver em um centro administrado por uma organização humanitária que apoiava mulheres vítimas de estupro e seus filhos. 

Quando Danziger reencontrou Sarah desta vez, ela estava feliz. Havia se casado e tinha tido outras duas filhas.

Continua após a publicidade
Publicidade