Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Entenda como irá funcionar volta às aulas presenciais no estado de SP

Apenas 35% dos alunos retornarão dia 8 de setembro

Por Da Redação - Atualizado em 24 jun 2020, 19h14 - Publicado em 24 jun 2020, 15h30

O governo do estado de São Paulo anunciou hoje que as aulas presenciais no sistema público e privado devem voltar a partir do dia 8 setembro, com um rodízio de alunos. O plano foi detalhado pelo governador João Doria (PSDB) em uma entrevista coletiva.

“O plano foi construído levando em consideração o estado da pandemia em São Paulo e também os exemplos internacionais. Quero agradecer o esforço de pais, mães, avós, vizinhos, amigos que estão fazendo de tudo para acompanhar o ensino”, disse o governador. Para a retomada das aulas, São Paulo deve estar na fase 3 (amarela) de flexibilização há pelo menos 28 dias. 

As orientações são válidas para todo o sistema educacional, desde a educação infantil até o ensino superior. “É importante falar aqui que este protocolo não é para rede estadual e, sim, para o sistema educacional do estado de São Paulo, desde a educação infantil até o ensino superior, que somam esses 13,3 milhões, incluindo o que a gente chama de educação suplementar, que são cursos de inglês, e outros cursos livres que são propostos por inúmeras instituições”, disse o secretário de Educação, Rossieli Soares.

A retomada das atividades será feita em três etapas. A primeira, que começará dia 8 de setembro, só permitirá que 35% dos alunos voltem a frequentar a escola presencialmente, enquanto os outros deverão continuar acompanhando o conteúdo online. Na etapa seguinte, que ainda não tem data definida, devem voltar 70% dos estudantes, seguida pelo retorno completo das atividades.

As aulas nas escolas do estado de São Paulo foram suspensas no dia 23 de maio, quando o governo antecipou o período de férias escolares. O ensino online foi retomado no fim de abril através dos aplicativos Centro de Mídias SP e dos canais digitais TV Univesp e TV Educação. Ainda que, segundo a Secretaria Estadual de Educação, a pasta arque com os custos dos planos móveis de internet para que alunos e professores tenham acesso ao conteúdo, grande parte dos estudantes não consegue acompanhar as aulas.

Universidades estaduais

A USP já havia apresentado um plano de readequação das atividades acadêmicas no dia 16 de junho, em que está previsto que as aulas continuarão sendo online durante o segundo semestre de 2020. A Unicamp e a Unesp também anunciaram que, após as férias do meio do ano, as aulas serão retomadas no atual modelo de ensino à distância.

O que você precisa saber sobre gravidez em tempos de pandemia

Continua após a publicidade
Publicidade