Em 12 anos, o número de mães adolescentes no Brasil caiu 17%

Além dos vários métodos contraceptivos disponíveis, o Ministério da Saúde afirma que o aumento de ações de educação sexual têm grande influência na queda

De acordo com a Pesquisa Saúde Brasil, do Ministério da Saúde, o número de mães adolescentes de 10 a 19 anos vem caindo nos últimos 12 anos. Em 2004, foram mais de 660 mil partos de bebês nascidos vivos, ao passo que, em 2015, o número já havia reduzido para pouco mais de 546 mil.

Essa queda se deu por alguns fatores relevantes, mas, principalmente, por conta da ampliação do programa Saúde da Família, o qual promove maior interação entre adolescentes e agentes de saúde, e também do acesso de pessoas de renda e instrução menores a diferentes métodos contraceptivosAinda mais, o Ministério da Saúde afirmou que ações de educação sexual também estão atuando na conscientização de adolescentes.

Leia mais: Mulheres agora têm acesso a DIU em maternidades atendidas pelo SUS

Os postos de saúde distribuem gratuitamente preservativos femininos e masculinos e pílulas anticoncepcionais. Além disso, também é incentivada a utilização do DIU, um dispositivo intrauterino de cobre, que é também gratuito e fornecido nas maternidades do país.

A base de dados da pesquisa, a qual o HuffPost Brasil teve acesso, é usada desde muito tempo para analisar as taxas de natalidade e fecundidade do país e mostra que as regiões Nordeste e Sudeste são as áreas de maior incidência de gravidez durante a adolescência, sendo que o primeiro tem 180 mil casos e o segundo, 179 mil.