Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Central Park terá hospital de campanha no combate ao Covid-19

Estados Unidos têm mais de 100 mil casos confirmados da doença e 2 mil mortes

Por Da Redação - Atualizado em 29 mar 2020, 20h33 - Publicado em 29 mar 2020, 20h23

Um hospital de campanha começou a ser construído no Central Park, um dos principais pontos turísticos da cidade de Nova York. Criado pela organização humanitária Samaritan’s Purse em parceria com o governo da cidade, com a Agência Federal para a Gestão de Emergências dos Estados Unidos (Fema) e com o grupo Mount Sinai, o local terá capacidade para atender até 68 pacientes.

A estrutura vai ajudar a dar vazão ao fluxo de pessoas contaminadas pelo coronavírus na cidade, que não para de crescer. Até a noite deste domingo, os Estados Unidos registraram mais de 100 mil casos da doença e 2 mil mortes. O estado de Nova York é o epicentro da epidemia no país, com mais de 53 mil casos e 672 mortes.

View this post on Instagram

Tents are being set up in Central Park’s East Meadow to serve as emergency care for coronavirus patients, Mount Sinai Health System confirmed Sunday. The field hospital is set to open Tuesday. Tap the link in our bio to read more. . 📷 @jeenahmoon / @reuters

Continua após a publicidade

A post shared by NBC News (@nbcnews) on

Ao contrário de outras estruturas temporárias criadas em Nova York, o hospital deverá contar com um quadro completo de profissionais para atender pacientes diagnosticados com Covid-19. Localizada no East Meadow, área de recreação do parque, a estrutura deverá ser aberta ao público na terça-feira (31).

Ajuda em 5 minutos

A Food and Drug Administration, instituição que regulamenta alimentos e medicamentos no Estados Unidos, aprovou um teste molecular capaz de diagnosticar infecções por coronavírus em 5 minutos.

Continua após a publicidade

O teste procura por fragmentos do vírus em amostras do genoma do paciente, colhidas a partir de secreções do nariz e da boca. O resultado positivo para a doença sai em cinco minutos, já o negativo demora um pouco mais, cerca de 13 minutos.

Além de rápido, o teste é facilmente transportável, podendo ser utilizado em hospitais, salas de emergência e até em clínicas médicas. De acordo com a Abbott Laboratories, instituto que desenvolveu o teste, a empresa pretende enviar kits ao sistema de saúde americano já na semana que vem. E até o dia primeiro de abril, o laboratório quer atingir um fluxo de entregas de 50 mil testes por dia.

Resiliência: como se fortalecer para enfrentar os seus problemas

Publicidade