CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Cacau Protásio sofre ataques racistas de bombeiros durante gravação

Os dançarinos que contracenavam com a atriz também receberam ofensas homofóbicas

Por Da Redação Atualizado em 17 fev 2020, 11h20 - Publicado em 27 nov 2019, 12h39

Cacau Protásio e mais quatro bailarinos sofreram ataques racistas e homofóbicos de bombeiros do Rio de Janeiro. O caso aconteceu durante as gravações do filme Juntos e Enrolados, no Quartel-Central do Corpo de Bombeiros, no Centro do Rio.

Não perca o que está bombando nas redes sociais

Em uma das cenas, Cacau e os bailarinos usam a farda da corporação durante uma apresentação de dança. No filme, o momento é, na verdade, o sonho de um dos comandantes.

Um sargento que estava nos bastidores gravou um vídeo da representação dos artistas, dizendo as seguintes ofensas: “Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma p… dessas no pátio do quartel?”. O registro, divulgado pelo colunista Leo Dias, do Uol, foi enviado a um grupo de Whatsapp.

View this post on Instagram

Eu gostaria de agradecer ao CBMERJ, na praça da República por nos receber muito bem hoje, nos assessorou em todos os momentos, Muito obrigada! Essa corporação tem meu respeito, eu estou amando fazer uma Bombeiro Sargento Diana! Obrigada Deus , mais uma história linda pra contar! Eu quero homenagear os Bombeiros maravilhosos da minha família @clvalente e @dirceuprotasio. Parceiro @pasquim , eu amei nosso dia. #gratidão #obrigadadeus #cinema #comedia #bombeiro #corpodebombeiros

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

As ofensas não pararam por aí. Um outro profissional também proferiu ofensas racistas e homofóbicas no mesmo grupo de conversa. ”Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável”, disse.

Cacau usou suas redes sociais para explicar a situação e desabar em relação ao triste episódio de racismo sofrido. “Ele espalhou um vídeo me xingando de negra, gorda, filha da puta e aquela cambada de viado. Racismo é crime se ele não sabe. Isso é muito triste. Não sei pra que tanto ódio”, falou a humorista.

Amigos e colegas de trabalho da atriz também manifestaram apoio a ela e indignação ao episódio. “Vamos lutar com vc até o fim contra qualquer tipo de manifestação racista , sexista ou de ódio!”, escreveu Samantha Schmutz, que contracena com Cacau no Vai Que Cola, do Multishow. Já o cantor Diogo Nogueira escreveu: “Por favor denuncie esse sem alma sem nada RRCISTAS NÃO PASSARAM!!”.

Continua após a publicidade

Em outro vídeo, a atriz ainda falou sobre a sua etnia e profissão. “Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Conto história. Eu não mereço ser agredida. […] Sei que sou uma pessoa forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é triste. […] E como uma pessoa que veste uma farda tão linda tem essa postura”, questionou Cacau. Veja a sequência de desabafos feitos pela atriz.

View this post on Instagram

Vídeo 1.

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

View this post on Instagram

Vídeo 2.

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

View this post on Instagram

Vídeo 3.

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

View this post on Instagram

Vídeo 3.

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

View this post on Instagram

A post shared by Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) on

Leia mais: Morre Rapadura, humorista da ‘A Praça é Nossa’

+Google revela quais são os 5 temas mais urgentes para os negros

Continua após a publicidade

Publicidade