Autor do Touro de Wall Street quer retirada de Garota Destemida

“Homens que não gostam de mulheres ocupando espaços são exatamente a razão pela qual precisamos da Garota Destemida", defendeu o prefeito de NY

Em Nova York, a Garota Destemida (Fearless Girl, em inglês), instalada no dia da mulher em Wall Street, está enfrentando mais uma ameaça. O autor do Touro de Wall Street (Charging Bull, em inglês) acredita que ela desvaloriza o seu trabalho.

A estátua de bronze representa uma atitude desafiante frente ao machismo do mundo corporativo e busca lembrar os investidores sobre a necessidade de aumentar o número de mulheres na direção de empresas. Para passar essa imagem, ela foi instalada exatamente em frente ao famoso Touro, como se o desafiasse.

A Garota Destemida tem atraído ainda mais turistas à região desde que foi instalada, em 7 de março. Chelsea Clinton, filha de Hillary Clinton, e a atriz Jessica Chastain postaram em suas redes sociais mensagens de aprovação à estátua.

 (Facebook/Reprodução)

Aparentemente, a popularidade da Garota Destemida não é unanimidade. Desde sua instalação, Arturo Di Modica, o escultor que criou o Touro de Wall Street há quase 30 anos – e detém os direitos autorais da peça – vêm dizendo que a Garota Destemida é um insulto a seu trabalho. “Ela está atacando o touro”, disse ao New York Times.

Segundo o jornal americano, Di Modica diz não ser contra aos ideais de igualdade de gênero. Ele apenas deseja que a Garota Destemida seja movida para outro lugar.

Por causa dela, disse, o famoso touro deixou de carregar uma mensagem positiva e otimista, tornando-se a imagem de força e ameaça.

 (Facebook/Reprodução)

O prefeito da cidade de Nova York publicar, na última quarta-feira (12) uma mensagem defendendo a permanência da Garota Destemida onde ela se encontra atualmente. “Homens que não gostam de mulheres ocupando espaços são exatamente a razão pela qual precisamos da Garota Destemida”, escreveu.