A tocante história da mulher que escolheu ficar cega pela filha

Neste Dia das Mães, Carla ganhou uma surpresa muito especial

Desde os 6 anos de idade, Carla Andressa Framthi Neves sofre com a diabetes. Ela conta que nunca se preocupou em se prevenir para evitar problemas futuros até começar a ficar cega, aos 25 anos. Para tentar impedir que a doença roubasse sua visão, ela, que na época trabalhava como técnica de enfermagem, imediatamente deu início ao tratamento que poderia interromper o avanço da cegueira.

Casada, Carla dividia com o marido o sonho de ter filhos, mas sabia que, ao menos naquele momento, precisava deixar esse desejo em espera, pois tratamento e gravidez eram incompatíveis já que o laser usado no procedimento afetaria o feto.

Assim, não foi fácil para ela se descobrir grávida bem no meio do processo de cura. Especialmente ao ouvir do médico que ela tinha “uma escolha a fazer: ou a gravidez ou a sua visão”.

Pra mim foi muito difícil a escolha que eu tive que fazer. Ia mudar tudo, a rotina… o recomeço é difícil – é começar tudo de novo, só que de outra forma. É tentar esquecer aquela Carla que enxergava e viver a Carla que não enxerga hoje”, contou ela ao G1.

Aos seis meses de gestação, sua visão rapidamente começou a se deteriorar, transformando por inteiro a rotina da jovem. Mas, ao pegar a filha nos braços e ouvi-la, ela soube que havia feito a escolha certa.

“Só eu mesma [pra saber]. É o toque né… eu acho que só o amor que eu dou pra ela vale mais do que ver. Tem muita gente que fala que no meu lugar não teria coragem… Mas é por outra vida, e uma que eu gerei. É um ato de amor”, diz.

Ela ainda chegou a fazer uma cirurgia para corrigir o descolamento da retina, mas conseguiu manter apenas 5% da visão do olho direito.

Na ponta dos dedos

Hoje, cinco anos depois, Carla participa da ONG Avistar, em Piracicaba. E foi lá que ela viveu um dos momentos mais emocionantes da nova fase. Graças a ideia de Mariana Turrioni, uma das professoras de braile da organização, Carla foi presenteada com uma foto 3D dela e da filha juntas.

“A Carla sempre perguntou como a filha era, os olhos, se era puxado, tamanho do olho, o cabelo, o perfil da menina. Aí quando a empresa falou da impressora, na hora surgiu essa ideia, pra trabalhar essa noção de espaço, detalhes do rosto, até coordenação motora para identificação e reconhecimento da foto. Aí como ia ser o Dia das Mães, a gente pensou de fazer a surpresa”, conta Mariana.

Feita por uma empresa especializada neste tipo de serviço, a foto escolhida foi tirada do Facebook de Carla. “A partir da fotografia dela com a filha, fizemos a conversão para 3D e imprimimos o modelo. Foi o primeiro que fizemos para essa finalidade, por isso, não sabíamos se funcionaria”, explica Mateus de Souza Rocha, dono da empresa.

foto 3d mãe e filha

 (Mateus de Souza Rocha/Arquivo pessoal)

Funcionou perfeitamente. Ao receber o presente, Carla usou as mãos para fazer o reconhecimento da imagem, podendo imaginar e recordar o que já tinha gravado em memória. E foi ao tocar o rosto da filha no papel o momento que mais a sensibilizou. “Quando eu passei a mão pra ‘ver’ a foto e eu senti o rostinho dela, eu me emocionei muito. Foi a primeira vez que eu passei a mão nela e também em mim, então eu fiquei muito emocionada”.

View this post on Instagram

"Esta é a Carla. Durante a gestação teve que fazer uma escolha, perder a visão ou a sua filha Vitória. Não teve dúvidas em manter a vida de sua filha. Por este motivo nunca conseguiu ver uma fotografia de sua pequena. Com o uso da tecnologia de impressão 3d, em parceria com a @ongavistarpiracicaba e auxílio da @marisimionatoo , criamos uma fotografia em relevo para presenteá-la nesta semana das mães. Esperamos que esse pequeno gesto possa se multiplicar." . A redação do Razões conversou com a Carla, que nos disse: ""Foi muito emocionante! Porque eu tô com ela todo dia, pegando nela, mas ver uma foto com as mãos é a primeira vez. Eu me emocionei muito, adorei a surpresa que fizeram pra mim na Semana das Mães!" Que história! Confiram todos os detalhes no nosso site. ⠀ crédito das fotos e vídeo: @loja3dcoisas

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) on

A pequena Vitória, filha de Carla, a acompanhava no momento e, a princípio, não entendeu porque a mãe estava chorando. “Eu falei: eu estou vendo você na foto. E ela falou: nossa mãe, que bonito né, que diferente, eu e você. Ela disse: nossa mãe, você está com a bengala na mão, olha que legal”.

Sendo a única da ONG que perdeu a visão antes de ver o filho, para ela a fotografia foi um presente e tanto de Dia das Mães.

Leia também: Viúvo, pai se veste de mãe para participar de homenagem na escola da filha

+ O drama dos pais de menino que foi tachado de “diabólico” por doença

Siga CLAUDIA no Youtube

%d blogueiros gostam disto: