Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

7 campanhas publicitárias que quebram o estereótipo sobre ser mulher

Alguns exemplos de propagandas vêm mostrando como é possível descontruir certos estereótipos da figura feminina e estimular a liderança e criatividade da mulher. Veja 6 peças publicitárias que conseguiram superar o conteúdo sexista.

Por Redação M de Mulher - Atualizado em 28 out 2016, 05h04 - Publicado em 31 ago 2014, 22h00

Algumas marcas vêm mudando a forma tradicional de se pensar campanhas publicitárias, em especial, aquelas que, muitas vezes, enxergam a mulher como alguém que não pode liderar ou ser autônoma. Reunimos exemplos de propaganda que quebram certos esteriótipos e tratam a mulher com mais respeito.

A mais recente delas vem de um dos maiores íconesquando somos crianças: a Barbie. Hoje, a Mattel sabe que uma de suas maiores concorrentes é a corrente antagônica que afirma que a boneca é um ideal de beleza inatingível – e, por isso, nada saudável para as meninas. 

Imagine as possibilidades, Mattel

 

 

No comercial “Imagine as possibilidades”, cada uma das garotas assume uma profissão diferente, que vão de veterinária a técnica de futebol. A parte legal? As próprias atrizes escolheram suas ocupações. Na ação “Você pode ser qualquer coisa”, há a simpática ideia de que a Barbie pode, sim, empoderar crianças.

“Como uma menina”, Always

#LikeAGirl (Como uma menina) foi uma campanha publicitária que a marca de absorvente Always lançou no fim de junho deste ano. No vídeo, jovens são perguntados o que significa fazer algo “como uma menina”. As reações são bem diferentes: meninos e adultos, em geral, tendem a ter uma reação estereotipada e exagerada, já as garotas mais novas desenvolvem um comportamento de maior confiança, força e determinação. A propaganda descobre que, para muitas pessoas, “parecer uma menina” tem uma conotação ruim e pede que esses estereótipos sejam revistos, pelo menos para quem participou do teste.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=XjJQBjWYDTs%5D

 

“Inspire a mente dela”, Verizon Wireless

Em junho deste ano, a operadora de celulares Verizon Wireless lançou a campanha “Inspire Her Mind” (Inspire a mente dela). No vídeo veiculado na TV norte-americana, uma série de situações cotidianas levam as meninas a ouvirem frases como: “não suje seu vestido”, “não mexa com isso”, “deixe que seu irmão faça isso”. De acordo com a peça publicitária, esse tipo de expressão desencoraja as garotas a explorarem situações diferentes e desestimula sua criatividade, em especial em áreas ligadas à ciência e à tecnologia. O resultado disso é mostrado pela própria campanha: 66% das meninas norte-americanas dizem gostar de matemática e ciências na escola, mas apena 18% delas seguem em carreiras, como engenharia.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=XP3cyRRAfX0%5D

Continua após a publicidade

 

“Garotas podem, sim”, Cover Girl

No começo de 2014, a marca de cosméticos norte-americana, Cover Girl, lançou a campanha #GirlsCan. O vídeo mostra celebridades que se destacam em áreas hostis às mulheres convidando garotas a se desafiarem sempre que ouvirem expressões como “meninas não podem”. Para a comediante Ellen Degeneres, a apresentadora Queen Latifah, as cantoras Kate Perry, Janelle Monae e Pink e a jogadora de hóquei Becky G cada “não” pode ser uma oportunidade para uma garota mostrar que pode, sim, ser o que quiser: engraçada, forte, dona do seu próprio negócio.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=KmmGClZb8Mg%5D

 

“Kit para meninas”, GoldieBlox

Com um anúncio veiculado no intervalo no campeonato de futebol americano Super Bowl, um dos horários mais nobre da TV dos Estados Unidos, a empresa GoldieBlox lançou, no fim de 2013, uma campanha oferecendo kits para meninas criarem máquinas e resolverem problemas propostos. No vídeo, três meninas assistem entediadas a uma propaganda de bonecas com os estereótipos comuns, como muito cor-de-rosa e princesas. É aí que o trio cria uma mecanismo que, no fim de tudo, desliga a televisão. A própria empresa GoldieBlox foi criada por Debbie Sterling, uma engenheira formada em Stanford que cresceu insatisfeita com as poucas opções de brinquedos que instigavam a criatividade feminina.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=IIGyVa5Xftw%5D

 

“Retratos da real beleza”, Dove

Para descobrir a percepção que as mulheres tinham delas mesmas, a marca Dove propôs um desafio. No vídeo, lançado em abril de 2013, a empresa convidou um especialista em retratos falados para desenhar os rostos femininos a partir de uma descrição. Primeiro, era pedido que as personagens se descrevessem, depois, que elas descrevessem à mulher que haviam encontrado na espera. A propaganda mostra como a imagem que temos de nós mesmas é muito diferente, e geralmente, pior, do que a que outras pessoas têm de nós.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ABups4euCW4%5D

 

“Brilhe Forte”, Pantene

Quantas vezes você pede desculpas por algo que não, necessariamente, é sua culpa? No fim de 2013, uma propaganda da Pantene convidou mulheres a serem mais confiantes. Um dos vídeos da campanha #ShineStrong (Brilhe Forte) estimula mulheres a não pedirem desculpas em casa e no trabalho em situações que não precisariam. Em outra peça, lançada no começo deste ano, a campanha pede que o público feminino não deixe que o uso de palavras, como “mandona” e “exigente”, impeça que mulheres se tornem líderes.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=rzL-vdQ3ObA%5D

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=kOjNcZvwjxI%5D

Continua após a publicidade
Publicidade