Clique e assine com até 75% de desconto

Esta estilista cria vestidos dos sonhos para todos os tipos de noivas

Para Julia Pak, não são as mulheres que têm de se adaptar à moda, mas o contrário. Confira a conversa inspiradora que tivemos com ela.

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 16 jan 2020, 13h44 - Publicado em 24 Maio 2018, 18h15

Julia Pak é uma estilista de noivas que já criou para personagens globais, como os das atrizes Mariana Ximenes, na novela “Haja Coração”, e de Nathalia Dill, em “Rock Story”. Em seu currículo estão, ainda, a criação de todo o figurino usado pela dupla de sucesso Anavitória em uma de suas turnês, e uma participação no reality “Um Show de Noiva”, do canal E!.

Mas não é tanto pela lista de clientes estrelados que Julia chama atenção, e sim por ter uma preocupação constante em desenvolver peças sob medida, sem obedecer a nenhum tipo de padrão ou tendência de moda pré-estabelecidos.

“Mais do que uma proposta, é um meio de ver as coisas. Não é uma comunicação pensada: ‘nossa, vou colocar uma modelo negra e uma modelo plus size‘. É  muito mais sobre: ‘como eu não vou colocar isso?’. Colocar só modelos brancas e magras [nas campanhas] não representa o que eu faço. Obviamente muitas marcas também pensam dessa mesma forma, mas eu acho que ainda é uma visão um pouco nova”, dispara, ao MdeMulher.

Estilista Julia Pak
Julia desenvolve peça por peça, sempre procurando representar os desejos da noiva em questão. Suas criações são fluidas e, claro, pautadas pela diversidade Lorena Dini/Julia Pak Atelier/Divulgação

Ela, que nasceu e cresceu em Vitória (ES), conta que, por ser descendente de japoneses e coreanos e morar em uma cidade distante da sua cultura tradicional, desde os quatro anos de idade usa as roupas como forma de expressão e autoconhecimento. Formada em design de moda pela FAAP, em 2013, e apesar de ser fã e entusiasta de casamentos desde criança, nunca havia pensado em se dedicar ao universo das noivas, até que algumas coincidências do destino fizeram tudo isso mudar.

O começo

Primeiro, foi a conquista do segundo lugar em um concurso de estilistas da própria faculdade, o “FAAP Moda”, que ajudou a tornar seu nome conhecido no meio. Depois, veio a inspiração no dia a dia e o primeiro contato direito com a moda dedicada às noivas, ao trabalhar em uma agência de comunicação que atendia a estilista Emannuelle Junqueira – para ela, uma grande referência como artista do setor. Unindo o útil ao agradável, só faltava um empurrãozinho a mais para que as coisas dessem certo de vez – e ele veio, graças a um pedido de sua prima:

“Uma prima minha engravidou, acabou casando e me ligou. Ela precisava de um vestido e estava com medo de comprá-lo e, depois, ele não entrar mais nela. Ela me perguntou se eu poderia fazer e aquilo, para mim, foi incrível. Eu tinha acabado de participar do concurso, tinha criado uma coleção, e acho que eu peguei aquilo com tanta vontade e tanta alegria, que no casamento dela a maquiadora pediu para que eu criasse o vestido de noiva dela também”, relata.

Estilista Julia Pak
“É muito importante a noiva descobrir quais são as suas referências, aquilo que ela é, pegar isso e colocar no vestido de noiva, que nada mais é do que uma peça que vai representar um momento único, de transformação”, diz a estilista Larissa Dare/Julia Pak Atelier/Divulgação

A partir daí, Julia retomou as aulas de costura, construiu um mini ateliê em seu quarto e passou a desenvolver peças de festa para amigas que estavam se casando ou se formando. Os pedidos só aumentaram, e foi necessária a criação de um site para divulgar seu trabalho. Aí, a estilista foi convidada a participar de um programa de TV, sendo que seis meses depois dele ir ao ar tudo fluiu: ela alugou uma sala comercial para trabalhar e, logo em seguida, inaugurou o próprio ateliê, que existe há dois anos e é seu atual local de trabalho.

Continua após a publicidade

Diversidade importa

Apesar do mercado de casamentos ainda ser muito tradicional, Julia enxerga mudanças positivas ao longo dos anos, e usa seu trabalho como ferramenta para que isso continue acontecendo. Para ela, não é sobre criar coleções que abordem a diversidade, como uma motivação momentânea, mas enxergar a diversidade como fator representativo de suas criações.

“Foi a forma que eu encontrei de divulgar o meu trabalho de maneira que fosse coerente com a minha visão das coisas, minha própria realidade. A questão dos casais homoafetivos, pra mim, é uma realidade – não faz sentido eu não mostrar isso. Eu sou uma estilista com origens orientais, criando em um país que tem colonização europeia e temos a raça negra em grande maioria. É muito importante essas pessoas se sentirem representadas e abraçadas, principalmente aqui no país em que a gente vive”, explica.

Estilista Julia Pak
Tecidos leves, como chiffon de seda, e muita renda – cortada livremente – estão entre alguns materiais usados pela estilista Ale Bigliazzi/Julia Pak Atelier/Divulgação

Servir a todos os tamanhos é mais uma premissa da estilista que, como dissemos, procura desenvolver todas as suas peças sob medida, de acordo com as vontades das próprias noivas: “Nossa maior característica aqui no Brasil são nossas curvas, e a gente não fala sobre elas? Isso é muito complicado. Como que eu vou ter um produto pronta-entrega, aqui nesse país, e pedir para as meninas se encaixarem nessa roupa?”.

É, Julia, realmente não faz o menor sentido.

Atelier Julia Pak
Todo o processo de desenvolvimento dos vestidos é totalmente discutido com as clientes – o que, para Julia, é uma maneira de driblar possíveis inseguranças e promover o autoconhecimento das noivas Lorena Dini/Julia Pak Atelier/Divulgação

Serviço:

Julia Pak Atelierhttp://www.juliapakatelier.com
Rua Almirante Marques Leão, 787 – Bela Vista – São Paulo
(11) 3253-7803

 

Continua após a publicidade
Publicidade