Escolha o tipo certo de pimenta para realçar o sabor dos pratos

A função das pimentas não é queimar a língua! Aprenda a usar cada variedade nas receitas para acertar na medida certa.

Para cada prato, um tempero se adequa ao estilo. Mesmo se você preferir algo menos picante, mas que ainda assim ressalte a escolha dos ingredientes, então, a pimenta é tudo o que você procura. Dentre os diversos tipos existentes, listamos cinco que fazem toda a diferença na hora de cozinhar. Conheça mais sobre elas:

Escolha o tipo certo de pimenta para realçar o sabor dos pratos

Pimenta rosa

Fruto da aroeira, árvore da Mata Atlântica, não é bem uma pimenta. Nem tem gosto ardido. “Ela é aromática e adocicada”, afirma Perin. Essa falsa pimenta é macia e bastante usada para decorar pratos. Sua suavidade casa até com saladas.

Pimenta-do-reino verde

Usada seca ou em conserva, vai bem em carnes – é até estrela da famosa receita steak au poivre. “Seu sabor é suave, embora um tanto marcante”, diz o chef Luis Fernando Perin, professor da Universidade Anhembi-Morumbi, em São Paulo.

Pimenta-do-reino branca

É da espécie Piper nigrum, como a preta e a verde. Só muda o processamento. Após colhida, vai para a água corrente até a casca se soltar. Seca ao sol. Foi criada para temperar pratos de cor clara, segundo Nelo Linguanotto, da loja Bombay Herbs & Spices, em São Paulo.

  Escolha o tipo certo de pimenta para realçar o sabor dos pratos  

Pimenta-da-jamaica

Nativa da América Central, é bastante aromática e pouco ardida. Seu sabor, segundo os especialistas, lembra uma mistura de especiarias. Pode ser usada em marinados e combina com alimentos mais fortes, como carne de porco.

Pimenta-do-reino preta

Considerada a rainha das especiarias, a versão preta é a pimenta mais utilizada no mundo. Colhida verde, é torrada até escurecer. Harmoniza bem com sabores fortes, como carnes vermelhas. “Mas pode mascarar ingredientes suaves”, alerta Linguanotto.