As cervejas indicadas para cada etapa do seu jantar

Aprenda a harmonizar cerveja com entradas, pratos principais e sobremesas

Cerveja é uma bebida sem frescura e combina perfeitamente com uma mesa de bar. Mas, de uns anos para cá, ela se sofisticou e mudou de status. A variedade de estilos e sabores é quase tão grande quanto a do vinho. Nesta nova temporada, o grande barato é servi-la com refeições caprichadas sem perder o refinamento ou estragar o paladar. Sim, você pode harmonizar cerveja com entradas, pratos principais e sobremesas. Aqui, mostramos parcerias infalíveis.

De onde vem o sabor da cerveja

Malte: é a cevada germinada e depois seca – processo que deixa o grão doce (a fermentação do açúcar é o que produz o álcool). Pode ou não ser torrado. Maltes claros têm notas de pão ou nozes; os escuros, de tostado, café e chocolate.

Lúpulo: botão de flor que atua como conservante, é o responsável pelo amargor da cerveja e também por aromas herbais e florais.

Fermento: os fermentos lager têm pouca influência no sabor; já os ale emprestam à bebida aromas complexos de frutas e especiarias.

Um cardápio harmonizado com a bebida

A bebida e o prato não podem brigar nem roubar a cena um do outro. Receitas delicadas devem ser acompanhadas por cervejas de sabor igualmente sutil. Preparações mais fortes pedem uma cerveja cheia de personalidade.

Pense em cervejas claras e leves como vinho branco – elas geralmente vão bem com peixes – e em cervejas escuras e robustas como vinho tinto, combinando com carnes marcantes. De forma geral, doce combina com doce, ácido combina com ácido. E, quanto maior o amargor da cerveja, mais potência aromática precisa ter a comida para não ser ofuscada. Todas essas regras têm exceções. Quebre-as sem cerimônia. Experimente à vontade e crie suas harmonizações.

O cardápio completo

Paras entradas

Bierland

Salame, copa, presunto defumado… Esses petiscos precisam de uma cerveja com potência para não parecer água ao lado de sabores tão intensos. Faça como os alemães e escolha uma bebida escura e forte, como a bock. A Bierland (600 ml, na puromalte.com.br), feita em Blumenau, tem tons avermelhados por causa do malte torrado.

Paulaner

As cervejas de trigo têm o frescor e a acidez ideais para combinar com uma saladinha verde. Experimente esta Hefeweizen alemã, quase sem amargor, com deliciosos aromas que lembram banana e especiarias, como cravo. A Paulaner (500 ml, imigrantesbebidas.com.br) é uma boa opção.

Leffe Blonde

Sopas cremosas, de sabor suave e levemente adocicado, como as de mandioquinha ou de abóbora, pedem cervejas claras e com pouco amargor. Tente bebidas ao estilo belga, aromático e algo doce (e bem alcoólico). A belga Leffe Blonde (330 ml, paodeacucar.com.br) é fácil de achar e tem bom preço.

Heineken

A sabedoria de boteco nos ensina que petiscos fritos são par ideal para cervejas leves e refrescantes. Uma pilsen gelada é a pedida aqui. Então, deixemos os rótulos caros para mais tarde. A Heineken (600 ml, varanda.com.br) é feita apenas com malte (outras usam também arroz e milho) e não tem conservantes.

Para os pratos principais

Chimay Rouge

Carnes grelhadas têm sabor intenso e precisam de uma cerveja com estrutura. Bebidas escuras e fortes são as mais indicadas. Experimente a belga Chimay Rouge (750 ml, cervejasocialclube.com.br), do estilo dubbel. Ou peça uma pilsen gelada: não vai combinar, mas também não vai matar ninguém.

Brooklyn Sorachi Ace

A delicadeza do peixe não pode ser atropelada por uma bebida encorpada ou amarga demais. Pilsen e cervejas de trigo caem bem, mas experimente a americana Brooklyn Sorachi Ace (750 ml, puromalte.com.br). Feita com um raro lúpulo japonês, tem aromas cítricos e não é amarga.

BrewDog 5 A.M. Saint

Pratos com sabores que não são delicados nem fortes demais, como espaguete ao sugo, combinam com a amber ale, estilo inglês que vai pelo mesmo caminho: é âmbar, não é clara nem escura. Prove a Brew Dog 5 A.M. Saint (330 ml, altodospinheiros.com.br).

Colorado Indica

Misturar pratos orientais picantes com india pale ale – tipo de cerveja amargo e alcoólico – é um clássico. O amargor atenua a ardência da pimenta, que por sua vez faz a cerveja parecer menos amarga. Um bom exemplo do estilo é a Colorado Indica (600 ml, puromalte.com.br), de Ribeirão Preto (SP).

Para as sobremesas

Guinness

A cerveja stout, escura por causa do malte torrado, forma uma dupla tradicional com doces que levam café. O tiramisu combina com a Guinness (400 ml, imigrantesbebidas.com.br), cerveja irlandesa que parece forte, mas é menos alcoólica que a pilsen).

Baladin Xyauyù

Doces muito doces, como brasileiros e portugueses, não vão bem com cerveja. A não ser que ela seja quase um licor, como a barley wine, estilo de origem inglesa que não tem gás, é doce e muito alcoólica. A italiana Baladin Xyauyù Argento (500 ml, altodospinheiros.com.br) é cara, mas vale cada gole.

Backer 3 Lobos Exterminador

A bebida deve ter um bom grau de acidez para fazer par com doces à base de frutas cítricas, como torta de limão. Assim são as cervejas de trigo, com baixo amargor, ideais para combinar com açúcar. A Backer 3 Lobos Exterminador (355 ml, lojabacker.com.br), é uma opção.

Wäls Petroleum

Chocolate escuro, pouco doce, harmoniza com cervejas negras, alcoólicas e licorosas. O estilo imperial stout preenche esses requisitos. Melhor ainda se a bebida tiver cacau na fórmula, como a mineira Wäls Petroleum (375 ml, clubedomalte.com.br).